ÚLTIMAS

Emerson de Almeida Negreiros, uma história digna de honra, respeito e inspiração



O Delegado de Polícia Emerson de Almeida Negreiros tinha 44 anos de idade, natural de Maués, nasceu no dia 19 de julho de 1975. Perdeu o pai muito jovem, enquanto ainda era menino, e logo teve a missão de assumir a responsabilidade de ser um chefe perante seus três irmãos menores. Era uma árdua tarefa naquela época.

Negreiros então tomou a decisão de seguir para Manaus, na década de 90, procurou estudar e logo entrou para Universidade Federal do Amazonas (UFAM), onde cursou Direito. Em 2000 completou o bacharelado em menos de 4 anos. Emerson dizia que tinha que estudar e por isso estendia os estudos acadêmicos aos finais de semana e feriado, adiantando muitas matérias.

Em seguida foi aprovado no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e de forma célere logo começou sua vida na advocacia, atuando com ética, dignidade e excelência em diversas esferas, inclusive em tribunais superiores. Em 2001 surgiu a chance de ser Delegado de Polícia. Prestou concurso, foi aprovado e nomeado em dezembro daquele mesmo ano.

Em sua trajetória casou-se duas vezes, a primeira esposa Francinei Fernandes e depois Elen Leite de Lima com quem teve um casal de filhos. Dr. Emerson também deixou dois enteados e uma mãe, Sra Celeste. O Delegado de Polícia então começou sua carreira na PC-AM, comandando delegacias do interior e da capital, fazendo parte de um grupo com respeito, dignidade e honra dentro da instituição.

Sua principal missão durante sua carreira foi comandar uma operação que resultou em 2014 na prisão de vários integrantes de uma facção criminosa responsável por matar o Delegado de Polícia, Oscar Cardoso. Na época, Emerson Negreiros chefiava o Departamento de Polícia Metropolitana (DPM).

Homenagem em Cortejo

O Delegado de Polícia, Emerson de Almeida Negreiros, teve um cortejo digno de uma autoridade competente que por 20 anos prestou combateu o crime organizado e tráfico de drogas em Manaus. Com batedores na escolta e acompanhamento do helicóptero Águia, do Departamento Integrado de Operações Aéreas (DIOA), Negreiros saiu do HPS João Lúcio, seguiu para a Delegacia Geral e depois para o cemitério São João Batista.

O cortejo foi acompanhado de batedores do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar do Amazonas e por mais de 30 carros, entre autoridades, policiais civis e militares, amigos e familiares. O corpo do Delegado parou em frente à recepção da Delegacia Geral, no Dom Pedro, onde um padre deu a benção final. No local também foi lida uma mensagem do presidente da Adepol-Am, Mário Jumbo Mirnada Aufiero.

Em seguida, o cortejo seguiu para o cemitério São João Batista, no bairro Adrianópolis, onde o helicóptero Águia, a comando do Delegado Edval Côrtes, jogou pétalas de rosas durante o enterro. Segundo Aufiero, a história do amigo Delegado Emerson Negreiros jamais será esquecida e que ele teve a homenagem merecida. “Era um grande Delegado, meu amigo de mais de 20 anos, jamais me esquecerei dele e de suas lutas, sua memória será eterna”, disse.

Emerson Negreiros entrou para a Polícia Civil do Amazonas no dia 4 de dezembro de 2001, comandou delegacias do interior e da capital, era membro da diretoria da Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Amazonas (Adepol-Am) e desde 6 de janeiro de 2019 era presidente em exercício da entidade. Ele estava internado há 22 dias em um hospital da cidade, mas teve complicações em decorrência do novo coronavírus.


Foto:Adepol-Am

Nenhum comentário