ÚLTIMAS

Manaus pode ter 200 mil contaminados pela Covid-19, aponta estudo

Estudo é uma das maiores pesquisas do mundo sobre extensão da pandemia do novo coronavírus. Manaus foi uma das primeiras cidades brasileiras a ter o resultado divulgado.


Um estudo feito pela Universidade Federal de Pelotas apontou que Manaus pode ter mais de 200 mil infectados pela Covid-19. A pesquisa é realizada em 133 cidades do país. Na capital amazonense foram entrevistadas e testadas 250 pessoas - o que representaria 11% da população contaminada. A cidade foi uma das primeiras a ter o resultado divulgado.
Financiada pelo Ministério da Saúde, a pesquisa possui três fases e foi iniciada na última semana. O estudo é um dos maiores do mundo sobre a extensão da pandemia da Covid-19. Oficialmente, de acordo com os mais recentes dados do governo, o Amazonas tem mais de 23 mil contaminados - 11.643 concentrados em Manaus. O estado tem 1.561 mortes pela doença.
Pelas ruas de Manaus, com a ajuda do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope), os pesquisadores bateram de porta em porta para aplicar o teste rápido na população da capital. Nos primeiros resultados foi constatado dados alarmantes: uma em cada dez pessoas está ou já esteve infectada com o novo coronavírus.
Logo na primeira fase, os pesquisadores apontaram que 11% da população foi infectada, o que corresponde, aproximadamente, 200 mil pessoas. Os dados apontam ainda que, para cada pessoa notificada, 20 são subnotificadas.


O coordenador do estudo Epicovid-19, Pedro Hallal, ao comentar sobre o resultado da pesquisa em Manaus, fez uma comparação do percentual que teve em outro país.

"Para que se tenha uma ideia de quão alto é esse percentual, na Espanha, que foi um dos epicentros da pandemia, um estudo revelou que 5 % da população esteve ou estava infectada pelo coronavírus na época da pesquisa e, somente na capital Madrid que teve um percentual equivalente ao de Manaus", disse.



Além de buscar o percentual da população que possui anticorpos, a pesquisa também quer ver a velocidade que a doença se alastra pelo Brasil, o percentual das pessoas que apresentaram sintomas e estimar o nível de letalidade da doença.
"Pelas estatísticas oficiais, nos dados de Manaus, a letalidade seria altíssima, perto até de 10%, mas quando a gente olha os dados reais obtidos na pesquisa, mostramos então, que a letalidade do coronavírus está ao redor de 0,5% em Manaus, muito parecido com algumas estimativas presentes na literatura internacional", afirmou o coordenador.


Nenhum comentário