Devido as fortes chuvas que caíram na região de Presidente Figueiredo e durou cerca de 13 horas, deixou dezenas de famílias desabrigadas, muitas casas ficaram totalmente submersas.

Na comunidade Santa Cruz, as famílias ficaram isoladas, pelo menos seis pontos foram registrados pela Defesa Civil Municipal que está dando apoio as famílias afetadas pela alagação.

“Além dos seis pontos registrados, o Rio Uatumã no Ramal das Morena as aguas subiram muito, não devido a abertura das comportas, mas o volume de agua ta alto por lá”, disse Rodrigo Martins, secretário adjunto da Defesa Civil.

A funcionária pública Jovelina Lopes da Silva mora na comunidade Santa Cruz, ela teve que levar uma roupa numa bolsa para trocar do outro lado, para poder chegar ao trabalho enxuta, já que segundo ela, a agua está dando acima da cintura.

“Eu entro as seis horas, já são quase oito da manhã e só agora tive coragem de sair de casa devido ao nível da agua tá cheia”, explicou.

Outra comunidade afetada foi a do Maroaga que fica na AM-240 Km 7 onde muitas famílias já deixaram suas casas e procuraram abrigos em casas de parentes e AMIGOS.

“Quando a chuva começou a engrossar, saímos as pressas lá pelas nove horas da noite, levantamos alguns moveis e pedimos abrigo na casa de um amigo, levamos as crianças que era a nossa maior preocupação e estamos sem dormir até agora”, explicou Williams Santos, barbeiro.

Segundo o vice prefeito Anderson leal, um levantamento das famílias afetadas está sendo feito e muitas serão retiradas dos locais afetados e colocadas numa outra localidade.

“Passamos a situação para a PGM e estamos aguardando o estudo, porque fazemos com maior boa vontade, mas muita gente usa isso de má fé e tentam nos prejudicar, por isso estamos fazendo o que diz a Lei, mas todos serão atendidos”, explicou Anderson leal, vice prefeito.