Foto: Divulgação

Idealizador do projeto “Mãos Amigas”, o médico prestou mais de 500 atendimentos voluntários em residências da periferia na capital

O médico João Bosco da Silva Júnior, 31 anos, receberá a Comenda Ordem do Mérito Legislativo, a partir de uma indicação do deputado Adjuto Afonso (PDT). A homenagem é a maior condecoração do poder legislativo concedida a chefes de estado e de governo, políticos, magistrados, membros do Ministério Público, militares, diplomatas, professores, cientistas, escritores, servidores, médicos, desportistas e outras personalidades, por relevantes serviços em cumprimento do interesse público.

A solenidade de entrega acontecerá na quarta-feira, dia 15, a partir das 17h, no Auditório Belarmino Lins, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), juntamente com outros homenageados indicados pelos demais parlamentares

“É uma satisfação destacar o trabalho de profissionais que prestam serviços fundamentais à sociedade. O Dr. João Bosco foi além do trabalho habitual e dedicou parte do seu tempo ajudando pessoas que não tinham condições de sair de casa num período em que a pandemia tomou conta de toda a cidade e tivemos várias perdas. Reconhecer esse gesto é um ato valioso que devemos ter e incentivar”, disse o parlamentar.

Filho de costureira, João Bosco da Silva Júnior nasceu em Humaitá (a 591 km de Manaus), porém, com três meses a família mudou-se para o município de Lábrea (a 701 de Manaus), onde cresceu e morou até os 23 anos, quando veio para a capital cursar a faculdade de medicina.

Durante a segunda onda do Covid-19, quando os hospitais fecharam as portas em detrimento à superlotação, o médico idealizou e criou o projeto chamado “Mãos Amigas”, disponibilizando atendimentos médicos, fisioterapêuticos e psicológicos gratuitos pelas residências na capital.

“Muito importante essa indicação, que trata de um projeto tão especial que conseguiu salvar centenas de vidas. Foi algo que saiu do meu coração, e eu estou completamente agradecido e lisonjeado com a homenagem”, ressaltou o médico João Bosco quando recebeu a notícia da indicação.

Através de atendimentos multidisciplinares, um total de 537 pessoas, que em um cenário de pandemia, puderam usufruir de assistência médica e social sem custo e de qualidade. A atuação em nível residencial se deu no estilo homecare individual. Após a crescente demanda, o profissional convidou outros amigos e, em menos de 15 dias, mais de 20 profissionais formaram uma equipe composta por 15 médicos, três fisioterapeutas, um psicólogo e um assistente social.

O grupo cresceu e, conseguiu, ainda, insumos e alimentos, como cestas básicas, doadas pela empresa Coca-Cola, dentre outras contribuições de empresas e pessoas que souberam do projeto através das redes sociais. Empresas de alimentação, inclusive, enviaram mais de 200 hambúrgueres para distribuir à equipe do hospital onde quer que estivessem trabalhando.

Durante a crise de oxigênio, com o engajamento nas redes sociais, a “Organização Missões Confins da Terra” disponibilizou cilindros de oxigênio e oxímetros para o projeto.

 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa do Dep. Adjunto Afonso

Foto: Divulgação