Para conscientizar gestantes e população em geral sobre a importância do aleitamento materno para a mãe e para o bebê, a Policlínica Codajás, unidade da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), realizou, nesta quinta-feira (19/08), programação temática com palestras e atividades lúdicas. A ação, intitulada “Aleitamento Materno: uma responsabilidade de todos”, foi realizada no auditório Raimunda de Souza Mendes, como parte do Agosto Dourado, mês dedicado à intensificação das ações de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno.

Com a participação do Grupo de Gestantes de Alto Vínculo da Policlínica Codajás, a programação destacou os benefícios proporcionados pela amamentação com leite materno.

“Essa campanha é muito importante para toda a sociedade, porque nós conseguimos explanar a importância do aleitamento materno e a cor dourada a gente fala que é o ‘alimento ouro’ para a criança. Tudo o que a criança necessita de vitaminas, de sais está no leite materno. Essa grande mobilização que nós fazemos é para que toda a sociedade entenda a importância do leite materno e como ele traz benefícios para a criança e para a mãe”, observou Ráiner Figueiredo, diretor da Policlínica Codajás.

O objetivo da campanha Agosto Dourado deste ano, de acordo com a Aliança Mundial para Ação em Amamentação, é informar sobre a importância de proteger o aleitamento materno, ancorar o apoio à amamentação como responsabilidade essencial de saúde pública, e interagir com pessoas e organizações para um maior impacto.

“Com grande satisfação preparamos esse evento todo especial, principalmente para as nossas pacientes, as nossas gestantes. Desde 1981 o Ministério da Saúde reforça variadas estratégias para proteção ao aleitamento materno, e todos os anos nós temos uma temática. Neste ano, todos nós somos chamados ao dever, à responsabilidade compartilhada em fomentar, proteger e incentivar o aleitamento materno”, destacou Eliane Matos, enfermeira do programa de Pré-Natal de alto risco da Policlínica Codajás.

Programação – Entre as ações preparadas para as participantes, uma acolhida das gestantes que fazem parte do programa, com a palestra “Amamentação – Um gesto de Alto Vínculo”. Também foram realizadas atividades lúdicas com alunos da formação técnica de enfermagem do grupo Literatus, palestra “Amamentação: Responsabilidade Compartilhada”, orientações sobre “Amamentação em Tempos de Covid” e uma dinâmica com as gestantes sobre mitos e verdades da amamentação, além de sorteio de brindes.

A palestra principal trouxe o tema “Amamentação: Responsabilidade Compartilhada”, com a mestre em saúde pública, subárea Saúde da Mulher, do Recém-Nascido, e coordenadora do Programa de residência em Enfermagem Obstétrica e Neonatal da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Lihsieh Marrero.

Atendimento diferenciado – A Policlínica Codajás é uma das unidades estaduais especializadas no atendimento de grávidas de alto risco, oferecendo um pré-natal diferenciado para as pacientes encaminhadas. De janeiro até agora, cerca de 800 mães já foram atendidas no programa de alto risco.

“O pré-natal de alto risco funciona de forma compartilhada, essas gestantes são encaminhadas geralmente pela Unidade Básica de Saúde e também podem ser encaminhadas por outros serviços, como a maternidade. Aqui elas serão recebidas e acompanhadas pelo médico obstetra, por uma equipe de especialistas a depender da situação, do risco que ela apresente”, disse a enfermeira do programa de Pré-Natal de alto risco da Policlínica Codajás, Nice Varela.

Entre os fatores de risco mais recorrentes na gravidez estão a hipertensão arterial, a diabetes gestacional e doenças infectocontagiosas, que lideram a lista de maior incidência.
Aos 36 anos, o sonho de ser mãe está perto de se tornar realidade para a auxiliar de serviços gerais Ednelza Souza, atendida pela equipe da Policlínica Codajás. Ela recebe atendimento especializado por ter apresentado diabetes gestacional. “Tem me ajudado bastante, sim”, observou.

Grávida de oito meses, ela agora espera com ansiedade pelo momento de amamentar a filha Maitê, que deve nascer em setembro. “Acho que é muito importante. Eu sonho com isso, de amamentar minha filha, sim. É uma primeira proteção e é um nutriente muito importante para ela”, enfatizou Ednelza, que acompanhou toda a programação alusiva ao Agosto Dourado realizada nesta quinta-feira.

FOTOS: Roberto Carlos/Secom