Comparativo leva em consideração primeira etapa do período sazonal de 2020 e de 2021

Dados epidemiológicos consolidados pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP) apontam que o número de casos de dengue reduziu em 46,26% no Amazonas, no comparativo entre a primeira etapa dos períodos sazonais (outubro a janeiro) dos últimos dois anos, que coincide e integra o tempo de maior ocorrência de chuvas no Amazonas (outubro a maio).

A redução de destaque foi identificada no mês de janeiro, com o registro de 1.719 casos, em janeiro de 2021, e de 482, em janeiro de 2022. A FVS-RCP tem intensificado os esforços para combater a proliferação da doença em todo o estado, causada pelo mosquito Aedes aegypti.

Dos 482 casos registrados de dengue em janeiro de 2022, 104 são em Manaus, representando 21,5% dos casos. No interior do estado, Tapauá é o município com maior quantidade de registros, apresentando 113 casos. A cidade é seguida de Tefé (56), Manicoré (46), Envira (36), Guajará (28), Coari (23), Humaitá (23), Iranduba (16), Lábrea (4), Parintins (4) e Tabatinga (4). Os dados são registrados em sistema oficial do Ministério da Saúde e monitorados pela FVS-RCP.

“Estamos em constante monitoramento das ações que estão sendo realizadas de combate à dengue pelas secretarias municipais de saúde. Principalmente no interior do estado, destinamos equipes para dar suporte às estratégias, como controle vetorial por meio do uso de inseticidas e ação de agentes de saúde”, destaca Tatyana Amorim, diretora-presidente da FVS-RCP.

O chefe do Departamento de Vigilância Ambiental da FVS-RCP, Elder Figueira, enfatiza que faz parte da rotina de trabalho da Vigilância o envio das equipes técnicas, principalmente, em municípios que apresentam aumento de notificações.

“O objetivo é dar apoio técnico às secretarias municipais na elaboração de planos de trabalho para contenção de casos”, afirma Elder.

Período chuvoso – Apesar da redução de casos de dengue, a FVS-RCP alerta que o período de chuvas é considerado sazonal para dengue, bem como as demais arboviroses.

“O período de chuvas representa um alerta, e a forma mais eficaz de evitar o contágio e a proliferação de dengue é a prevenção e evitar o acúmulo de água em recipientes que favoreçam a criação de criadouros de mosquito”, acrescenta Elder.

Prevenção – A FVS-RCP alerta sobre a necessidade de aumentar os cuidados para evitar água parada em pneus, vasos de plantas, garrafas e outros recipientes que possam permitir a reprodução do mosquito.

É importante manter tonéis d’água tampados, calhas limpas, garrafas e recipientes virados para baixo, pratos de vasos de planta com areia e limpos semanalmente, ralos limpos, com aplicação de telas, além de manter lonas para material de construção e piscinas sempre esticadas para não acumular água.

Referência – A FVS-RCP é responsável pela Vigilância em Saúde do Amazonas, incluindo a Vigilância em Saúde Ambiental, especificamente para arboviroses, por meio do Departamento de Vigilância Ambiental.

A instituição funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na avenida Torquato Tapajós, 4.010, Colônia Santo Antônio, Manaus. Os contatos telefônicos da FVS-RCP são (92) 2129-2500 e 2129-2502.

 

 

 

Fonte: FVS

Foto: Fernanda Pimentel