TCE


No último domingo do mês de agosto, a Feira de Economia Criativa – Povos Criativos, foi a opção de lazer de muitos amazonenses. A feira que aconteceu no Centro Cultural dos Povos da Amazônia (CCPA), localizado na Avenida Silves, Nº 2222, Distrito Industrial, contou com programações especiais para o público de todas as idades.
.
Entre as programações especiais, está o evento da Associação das Mulheres Indígenas do Alto Rio Negro (AMARN), que foi criada para promover oportunidades de geração de renda, qualidade de vida e formação sócio-política, através de atividades e manifestações culturais que fortalecem a cultura indígena do Rio Negro. Neste ano, a associação completa 35 anos.
.
Para a presidente da associação, Clarice Arbella, que falou durante o evento sobre a importância da liderança das mulheres indígenas do Alto Rio Negro, “a história da Associação das Mulheres Indígenas do Alto Rio Negro é um exemplo de resiliência, de lutas e de transformação de desafios em momentos de conquistas”.
.
A representante da etnia Tuiuca, Madalena Cardoso, destacou que “na AMARN nós damos continuidade no que nossos pais ensinaram pra gente lá atrás. Para não esquecer a nossa cultura, a gente tem uma escola para repassar o que aprendemos aos nossos netos e bisnetos. É muita felicidade comemorar 35 anos”.
.
“Tenho muito orgulho de tá aqui hoje, juntamente com as companheiras da associação, completando 35 anos de caminhada. Somos mulheres indígenas que não medem esforços para continuar nossa caminhada, reivindicando a luta da mulher indígena”, afirmou a indígena Jucimeire Trindade.
.
A apresentação do Grupo de Dança Bayaroá completou as programações do evento da AMARN.
.
Lançamento da “Amazon Jam Cards” e “Intercâmbio de Perspectivas: Roy Wagner na Amazônia”

A Manart Galeria, que tem participado da Feira Criativa com Podcasts, trouxe a exposição “Amazon Jam Cards”, de Turenko Beça. Esta é a primeira exposição individual do artista desde 2017. Além das obras de arte, uma coleção de produtos exclusivos da exposição, com cinco estampas inéditas, e a estreia de um vídeo oficial de Turenko, foram lançados nesta edição da Povos Criativos. A curadora de arte, Hadna Abreu destaca que “é uma exposição muito contemporânea, com uma linguagem atual, mas também falando das raízes ancestrais dos povos originários, dos símbolos que nos remetem à nossa ancestralidade da região norte”.
.
O artista, Turenko Beça afirma que está muito satisfeito com o resultado final da montagem da exposição, “muito alegre pelo lançamento das estampas e das novas peças da Manart, não só de camisetas, mais de acessórios e alta costura. São várias técnicas, a gente tem desde a pintura acrílica sobre tela, temos gravura de linóleo, de xilogravura, tem pôster lambe-lambe, tem umas técnicas mistas que é uma continuidade do projeto figurinha, lá de 2017”. O artista também lembra que a visitação continua de terça à sábado, de 09h às 16h, dentro do Centro Cultural dos Povos da Amazônia.
.
A Feira de Economia Criativa também foi lugar de lançamento do documentário “Intercâmbio de Perspectivas: Roy Wagner na Amazônia”, de produção da Rizoma Audiovisual, roteiro e edição de Gustavo Soranz, fotografia e direção de Erlan Souza e Gustavo Soranz, e apoio do NEAI – Núcleo de Estudos da Amazônia Indígena (PPGAS/UFAM).
.
A exibição do documentário aconteceu no Cinema Silvino Santos às 17h. Após a estreia, houve uma Mesa de Debate sobre o documentário, com a participação do antropólogo Tukano, Gilton Mendes, da Diretora do Centro Cultural dos Povos da Amazônia, Jessilda Furtado, do documentarista e fotógrafo, Erlan Souza e de Gustavo Soranz, da Rizoma Audiovisual.
.
Bate-Papo “Cultura e Centros Urbanos”

No auditório do Centro Cultural, o arquiteto e urbanista diretor de planejamento do IMPLURB, Pedro Paulo Cordeiro, o arquiteto e urbanista e artista visual, Pablo Cunha e a também arquiteta e urbanista, colaboradora na SEC, Melissa Toledo, participaram do bate-papo “Cultura e Centros Urbanos”, que teve dois eixos temáticos, foram eles: Identidades, territorialidades e patrimônio histórico cultural: construindo “modernidades” em um mundo contemporâneo e, Turismo, Hospitalidade e Lazer: o patrimônio da era moderna como atrativo turístico e espaços de lazer e eventos.
.
“Eu vim pra Feira para participar desse Bate-Papo, pois acreditava que me ajudaria na construção do meu trabalho de conclusão de curso, mas na verdade, eu tô saindo com várias ideias que eu vou ter que colocar no papel. Realmente, foi bem mais do que eu tava esperando e, sem dúvida nenhuma, eu tô empolgada e satisfeita com o resultado”, disse a formanda em arquitetura e urbanismo, Cecília Marques.
.
Entretenimento e diversão para todos os públicos

Além de Boardgame na lateral do CCPA, e Games na Passarela dos Arcos, o Palco Principal contou com apresentações de Grupos K-Pop, Random K-Pop, concurso K-Pop Solo e concurso de Cosplay, com premiação no valor de R$2.000,00 para os ganhadores, doados pela Associação Zagaia Amazônia. O criador de conteúdo, Guilherme Lestat, “o Povos Criativos tem aberto um grande espaço para comunidade Geek, com isso há uma troca de culturas e faz com que muitos jovens que vão para prestigiar acabam saindo do evento com mais conhecimento acerca da riqueza cultural do nosso estado”.
.
A também Feira ofereceu ao público, um espaço gastronômico, com cardápios para todos os gostos e preferências. Para as crianças, a Oficina de Pintura Infantil, com Edna Rezende, garantiu a diversão no Hall do CCPA, onde expositores e artesãos puderem vender seus diversos tipos de artesanato.

 

 

Fonte: SEC

Foto: Divulgação