TCE


Amazonas – Manaus e mais cinco municípios amazonenses foram afetados, no início desta terça-feira (15), pelo “Apagão”, que aconteceu no sistema de fornecimento de energia elétrica que, além do Amazonas, afetou cidades de 25 estados e do Distrito Federal. A ocorrência foi repercutida durante a Sessão Plenária realizada na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), quando foi destacada a necessidade de manutenção nas termoelétricas existentes no estado.

O presidente da Comissão de Geodiversidade, Recursos Hídricos, Minas, Gás e Energia da Aleam, deputado Sinésio Campos (PT), tratou o tema na tribuna, explicando que, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (NOS), o Apagão ocorreu devido à falha em uma linha de transmissão do sistema, responsável pela interligação das regiões Norte e Sudeste.

O parlamentar falou sobre o impacto na rotina da cidade, com suspensão DE aulas, sinais de trânsito desligados e, principalmente, nos serviços essenciais, como hospitais.

“Por isso é preciso a consciência da importância de energias alternativas, como as termoelétricas”, disse, lembrando que municípios como Coari (distante 363 quilômetros de Manaus), Itacoatiara (176 quilômetros) e Parintins (369 quilômetros) possuem termoelétricas. “É necessário que elas recebam manutenção e, em momentos como esses, possam ser acionadas”, avaliou Campos.

Para tratar do sistema integrado nacional e da manutenção das termoelétricas existentes nos municípios amazonenses, o parlamentar sugeriu que na próxima quinta-feira, 17, após a Sessão Ordinária, os deputados membros da Comissão se reúnam para discutir o tema.

 Violência contra a mulher

A deputada Alessandra Campêlo (Podemos), presidente da Procuradoria da Mulher da Aleam, trouxe para o conhecimento do Plenário mais notícias de violência contra mulheres.

Campêlo falou sobre o caso de uma menina de 11 anos, atendida em uma unidade de saúde de Manaus, com quadro de infecção sexual após abuso sexual possivelmente cometido pelo ex-marido de uma tia. O caso foi denunciado pela irmã de 14 da vítima, que também teria sofrido assédio do mesmo homem, que está preso. A mãe das meninas também foi presa por, segundo a Polícia Civil, ser suspeita de acobertar os crimes em troca de dinheiro.

“A Procuradoria acompanha mais este caso, prestando apoio às vítimas, e atuando para que todos os agressores de mulheres paguem por seus crimes”, disse a parlamentar.