Foto: Divulgação
O passado com a camisa do Palmeiras foi ‘perdoado’. Pela aplicação, dribles, provocações e gols, como o de ontem, contra a Chapecoense, no último lance do jogo. Aos 52 minutos. Fundamental para Sylvinho

 

Gol aos 52 minutos do segundo tempo.

No último lance da partida.

Escanteio

Vitória sofrida por 1 a 0, contra a Chapecoense, em pleno estádio corintiano, depois de um ano e oito meses com capacidade total dos torcedores liberada.

39.734 torcedores vibraram demais com o gol de Roger Guedes, que garantiu o Corinthians em sexto lugar no Brasileiro.

A alegria foi tanta que o atacante não se conteve e expôs, de forma escancarada, a reviravolta no Parque São Jorge. De lutar contra o rebaixamento à briga efetiva pela Libertadores de 2022.

“Estamos lá em cima para brigar pelo nosso objetivo, que é a Libertadores”, assumiu Roger Guedes, entusiasmado.

Roger Guedes chegou ao quinto gol no Brasileiro.

E está cada vez mais entrosado com a torcida corintiana.

Bastaram dois meses.

A identificação é impressionante.

O ex-jogador do Palmeiras temia, ao ser contratado, rejeição. Por ter atuado no grande rival, era grande a sua apreensão.

E ele já encarnou a alma corintiana.

Foi o jogador de maior coragem, insistência, vibração para enfrentar o forte sistema defensivo do último colocado do Brasileiro.

Tomou pancada, reclamou, discutiu, driblou foi derrubado, derrubou, provocou.

Mas foi recompensado, aplaudido, teve seu nome gritado por grande parte dos torcedores em Itaquera.

Já está virando ídolo.

Fez questão de repartir seu gol salvador com a torcida.

Correu, celebrou, vibrou.

“Minha estrela brilhou, mas foi a persistência do grupo a responsável pela vitória”, celebrava.

O tento que garantiu a vitória corintiana foi importantíssimo para Sylvinho. Não foi por acaso que ele saiu do banco de reservas para pular em cima dos seus jogadores para comemorar o gol.

O treinador não suporta mais ser questionado.

Empatar com a lanterna Chapecoense já seria motivo de mais críticas e novos pedidos de demissão do treinador.

Roger Guedes é um dos maiores defensores de Sylvinho.

Se a maioria das pessoas, torcedores, gente da imprensa, conhecessem o Sylvinho e o cara sensacional que ele é, não é defendendo ele ou pra ganhar moral em cima, mas é um cara sensacional, que já já vai ser um dos melhores, tenho certeza”, disse ao Sportv, após a partida.

Bastaram 11 partidas.

E Roger Guedes já ganhou relevância.

Sua personalidade e maneira de jogar se encaixa com o clube.

Justificando o que ele mesmo já disse.

“Há muito tempo queria jogar no Corinthians.

“Vim para me juntar a esse bando de loucos”.

 

Fonte: R7

Foto: Divulgação