Devido ao aumento no número de casos e óbitos por covid-19, câmaras frigoríficas voltaram a ser instaladas nos prontos-socorros da capital. Enquanto as estruturas, que serão permanentes, estão sendo instaladas, o Governo do Amazonas vai colocar, preventivamente, estruturas temporárias para dar suporte aos hospitais no acondicionamento de corpos de pacientes que falecerem vítimas da covid-19. Na manhã desta quinta-feira (31), a primeira câmara fria foi instalada no Hospital e Pronto-Socorro (HPS) 28 de Agosto, a segunda, no Hospital João Lúcio.

Também está prevista, para os próximos dias, a instalação das câmaras frias no Platão Araújo.

A instalação da câmara fria, assim como a implantação de câmaras mortuárias permanentes, faz parte de um conjunto de medidas que estão sendo implementadas pelo Estado para melhorar o atendimento no pós-óbito nos hospitais, incluindo acolhimento e orientação às famílias de forma digna e humanizada.

Estrutura permanente

No HPS 28 de Agosto, onde o necrotério já possui câmara mortuária, serão instaladas prateleiras para aumentar a capacidade do morgue. Nos outros dois HPSs, que não possuem câmara, a equipe de engenharia estuda a melhor forma para a implantação da estrutura permanente, seguindo o padrão definido na programação arquitetônica de unidades funcionais de saúde, do Ministério da Saúde/Anvisa (SomaSUS), a fim de proporcionar condições de guarda, conservação, velório e retirada de corpos.