Brasil – A parada cardiorrespiratória, conhecida popularmente por parada cardíaca, acontece quando a pessoa pára de respirar e o coração também para de bater, fazendo com que o sangue não chegue a todos os órgãos do corpo e colocando a vida em risco.

Ela pode acontecer de repente e por diversas causas, mas é mais comum em pessoas com doenças cardíacas, insuficiência respiratória ou que sofreram acidentes graves que possam interferir com o batimento cardíaco, como acontece no caso de choques elétricos.

Dados do Ministério da Saúde apontam que, no Brasil, 300 mil indivíduos sofrem Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) por ano, com óbitos em 30% dos casos. Outro ponto que chama atenção seria o crescente aumento de casos em jovens com menos de 35 anos.

Essas paradas podem decorrer de doenças hereditárias congênitas, como a miocardite; e também doenças infecciosas, a exemplo da endocardite. Além disso, existem também substâncias que aumentam o risco potencial desse evento súbito, como as drogas ilícitas, principalmente, aquelas que estimulam a frequência cardíaca do indivíduo, tais como a cocaína e crack e, muitas vezes, algumas drogas lícitas também desempenham esta função.

O cardiologista do Sistema Hapvida, Railton Cordeiro explica o que precisa ser feito para evitar situações como estas. “Devemos manter nossa rotina de exames com nosso cardiologista, independente da idade, temos aquela impressão de que o jovem está ‘blindado’ de uma morte súbita. Precisamos sim, passar pelos exames antes de iniciar um exercício físico, por exemplo”.

O médico ainda alerta para o que fazer, caso suspeite que alguém esteja sofrendo um mal súbito: basta verificar se há ausência de pulso e movimentos respiratórios, inconsciência e coloração azul-arroxeada da pele e mucosas.

Mas, para que a situação seja revertida, é necessário correr contra o tempo. “Essa análise deve ser rápida, em alguns segundos, e a massagem cardíaca tem que ser realizada com a sua devida técnica, por um profissional treinado”, alerta o cardiologista reforçando que o 192 deve ser acionado imediatamente assim que o incidente for constatado.
Antes da parada cardiorrespiratória acontecer, existem alguns sintomas que podem alertar para essa possibilidade, como: dor forte no peito, que irradia para o abdômen ou costas; dor forte de cabeça; falta de ar ou dificuldade em respirar; visão turva ou embaçada; suores frios e palpitações.

Para diminuir as chances de sofrer uma parada cardiorrespiratória, é necessário que a pessoa faça o tratamento adequado para alguma doença cardíaca que possa ter, tenha um estilo de vida saudável e evite o estresse.

Sobre o Sistema Hapvida

Com mais de 7,4 milhões de clientes, o Sistema Hapvida hoje se posiciona como um dos maiores sistemas de saúde suplementar do Brasil presente em todas as regiões do país, gerando emprego e renda para a sociedade. Fazem parte do Sistema as operadoras do RN Saúde, Grupo Promed, Premium Saúde, além da operadora Hapvida e da healthtech Maida. Atua com mais de 38 mil colaboradores diretos envolvidos na operação, mais de 15 mil médicos e mais de 15 mil dentistas. Os números superlativos mostram o sucesso de uma estratégia baseada na gestão direta da operação e nos constantes investimentos: atualmente são 49 hospitais, 203 clínicas médicas, 49 prontos atendimentos, 176 centros de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial.