TCE


Brasil – O laudo de perícia da defesa de Ana Hickmann detalha como uma informante levou a apresentadora a suspeitar de que uma gerente do Banco Daycoval estava envolvida em um suposto esquema de falsificações de assinaturas e contratos de crédito fraudulentos ligado ao ex-marido da apresentadora, Alexandre Correa.

O documento foi entregue pela defesa da apresentadora à Polícia Civil de São Paulo em um inquérito aberto para investigar suposto desvio de dinheiro e crime de falsidade ideológica em contratos milionários das empresas de Ana Hickmann, atribuídos a ela pelo ex-marido.

O casal se separou em novembro, depois que Ana Hickmann prestou queixa contra Alexandre Correa por agressão, após uma discussão na frente do filho. Nesta semana, o empresário pediu a prisão da apresentadora, alegando que ela promove alienação parental, por supostamente impedi-lo de ver o garoto de 9 anos.

Segundo Ana Hickmann, seu ex-marido e uma funcionária de suas empresas usavam indevidamente a sua assinatura digital para contratar empréstimos do Banco Daycoval, sem sua permissão.

O perito diz que uma pessoa que teria participado dos supostos desvios de Alexandre Correa contou detalhes de como funcionavam os esquemas e o suposto envolvimento da gerente do banco.

Quem é a informante

A informante é engenheira Andrea Frizzo, que foi procurada pela defesa de Ana Hickmann para explicar por que havia cheques emitidos pela Hickmann Serviços em nome da mãe dela.

Segundo o documento, para se explicar, Andrea foi às dependências da empresa e contou que Elisa Garcia, gerente do banco, encaminhou-a ao então marido de Ana Hickmann para participar de um esquema que envolvia a contratação de empréstimos, em contrapartida ao recebimento de juros fora dos padrões do mercado.

“A mesma [Andrea Frizzo] nos mostrou, em seu telefone celular, várias mensagens trocadas com a Sra. Elisa relacionadas à operação financeira efetuada com o Sr. Alexandre [Correa]. Cópias de referidas mensagens não foram a nós disponibilizadas”, narra o perito.

O perito da defesa da apresentadora afirma ter encontrado créditos em favor de uma “Elisa” em uma série de anotações à mão atribuídas a Alexandre Correa sobre dívidas que ficavam “à margem da contabilidade” da empresa.

O profissional contratado entende que o nome pode ser uma referência à gerente do Daycoval. Com o banco, empresas da apresentadora com o ex-marido contraíram dívidas milionárias. Ao todo, seriam mais de R$ 40 milhões em dívidas, incluindo outros bancos.

De acordo com a perícia, há contratos de crédito com a instituição financeira sobre os quais não é preciso nem de aparelhos de “precisão óptica e lupas de diferentes grandezas” para constatar que levam assinaturas falsificadas de Ana Hickmann.

“Além disso, chamou-nos atenção o fato de as assinaturas terem sido ‘confirmadas’ pela gerência de referida instituição financeira (Daycoval), conforme carimbo de autenticidade aposto ao lado das mesmas”, diz o perito.

Banco nega crimes

Procurada, Elisa não se manifestou. Andrea Frizzo não foi localizada.

Já o Banco Daycoval afirmou, por meio de nota, que “não há indício de prática ilícita ou associação criminosa que envolva suas operações financeiras, bem como colaboradores da instituição”.

“Informações relacionadas ao cliente e à operação seguem em regime de sigilo bancário. O Banco Daycoval se coloca à disposição das autoridades para qualquer esclarecimento que se faça necessário”, diz a instituição financeira.

O advogado Enio Murad afirma que Alexandre Correa nega todas as acusações de supostas fraudes e tem plena convicção de que a inocência dele será comprovada.

Fonte: Metrópoles