O prefeito de Coari, Keitton Pinheiro, abriu oficialmente as comemorações alusivas ao aniversário de 90 anos da cidade com o lançamento dos Programas Municipais de Transferência de Renda Direito à Cidadania (Urbano e Rural), Bolsa Estágio e Mente Aberta. O evento aconteceu nesta quarta-feira (27), no Ginásio Poliesportivo Geraldo Granjeiro, e contou com a presença de autoridades do Executivo e Legislativo, além dos novos beneficiários. Nesta primeira chamada serão contempladas 1.600 famílias no Direito a Cidadania, 200 jovens no Bolsa Estágio e 200 adolescentes no Mente Aberta.

O prefeito lembrou que os programas sociais foram implantados em 2001 pelo então prefeito Adail Pinheiro, e desativados nas gestões que o sucederam, mas foram resgatados, depois de oito anos inativos, pela administração do ex-prefeito Adail Filho. “E cumprindo à risca o compromisso firmado com a população, durante a campanha em 2021, estamos dando continuidade a esse trabalho que acredito que, se não tivéssemos aqui hoje, com um grupo político unido e aguerrido, esses programas municipais que ajudam milhares de famílias certamente não existiriam mais”, comentou.

De acordo com Keitton Pinheiro, desde 2019, mais de seis mil famílias já foram contempladas por estes que estão entre os maiores programas de transferência de renda do Amazonas. “A minha felicidade é extrema por saber que através de muito trabalho, seriedade e compromisso, nós podemos oferecer esses benefícios a vocês e o nosso objetivo é ampliar o alcance dos programas sociais na zona urbana e zona rural de Coari, fazendo valer o compromisso que eu firmei durante a minha campanha que é valorizar quem realmente precisa, ajudando o povo coariense”, declarou.

O prefeito de Coari finalizou anunciando que encaminhará, em breve, à Câmara Municipal um novo projeto de lei que cria mais um programa social de transferência de renda intitulado de “Bolsa Cultural”. A iniciativa deve contemplar artistas locais, visando o fomento de eventos na área da cultura em espaços públicos como praças, ginásios e auditórios voltados à juventude, sendo mais uma importante alternativa com o intuito de valorizar as pessoas.

Selecionada pela primeira vez no Direito à Cidadania, a dona de casa Ana Leyde Lopes Moçambique, de 22 anos, comemorou e disse que o benefício será um importante auxílio no atendimento das necessidades básicas dela e do filho de 3 anos, que mora com ela em um flutuante na orla da cidade. “Pra mim essa notícia foi especial porque vai ajudar muito a minha família. Sou grata ao prefeito por ter me dado essa oportunidade”, afirmou.

O estudante do 9° Ano Geilson de Souza Pereira, de 15 anos de idade, contemplado também pela primeira vez, mas para o Mente Aberta, destacou a felicidade de receber a notícia e a expectativa de participar das ações. “Foram na minha casa avisar. Minha família toda ficou muito feliz e eu espero ter uma experiência boa no programa”, relatou.

*Sobre os programas:*

O Direito à Cidadania desenvolve ações socioassistenciais direcionadas a famílias oriundas das zonas urbana e rural, no que diz respeito às suas necessidades básicas de alimentação, saúde e educação, dentro da perspectiva de aumento das chances de reconstrução da cidadania dos grupos que apresentam maior grau de vulnerabilidade econômica e social, ou até mesmo em condição de pobreza absoluta, sempre respeitando à garantia e ampliação de seus direitos humanos. Os beneficiários recebem auxílio mensal no valor de R$ 300, pelo prazo de um ano. Desde a sua implantação, em 2019, esse programa já contemplou aproximadamente 5.000 famílias.

O Bolsa Estágio, por sua vez, realiza ações voltadas aos jovens de 18 a 24 anos de idade no que refere à sua aprendizagem, qualificação profissional, inserção no mercado de trabalho e acompanhamento socioassistencial. Já o Mente Aberta promove ações direcionadas aos adolescentes de 14 a 17 anos, e suas famílias a partir de atividades de prevenção ao consumo, comércio e tráfico de drogas, desenvolvidas por meio de ações socioeducativas, de promoção social, saúde e direitos humanos. Os beneficiários recebem mensalmente R$ 250, durante um ano. Desde a implantação, em 2019, foram contemplados 1.200 jovens e adolescentes pelos dois programas.