TCE


O salão do Fazendário Clube ficou repleto de centenas de profissionais que fizeram questão de abraçar e declarar apoio para os candidatos Francisco Almeida, Alisson Leão, Cláudio Guenka e Denise Braga

O lançamento da campanha dos candidatos Francisco Almeida, que disputa à presidência do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea); de Alisson Leão, que disputa à presidência do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Amazonas (Crea-AM); de Cláudio Guenka e Denise Braga, que disputam os cargos de diretor-geral e Administrativo da Mútua-AM, foi um estrondoso sucesso, na noite desta sexta-feira (22/09).

O evento programado para 250 pessoas superlotou, chegando a 400 pessoas. O público superou as expectativas dos organizadores, e ao mesmo tempo, estimulou os candidatos a seguir com mais afinco na disputa que prossegue até o dia 17 de novembro, data da eleição.

A abertura do evento, que contou com a presença do deputado federal Alberto Neto (PL), foi realizada ao som da pisadinha, ritmo que embala o jingle da campanha. No telão, os profissionais conheceram os candidatos e a música. Depois, foram convidados a fazer a coreografia. Teve até disputa para ver quem melhor absorvia os passos ensinados pela dançarina Rayca do Salgueiro. A engenheira civil Kelly Ambrósio foi eleita como a melhor dançarina da noite.

“Essa chapa significa a renovação do sistema  e a busca gestores que tragam soluções efetivas para os profissionais, como valorização dos engenheiros, dos agrônomos e dos profissionais das geociências na sociedade; melhor aproveitamento dos recursos e benefícios da Mútua; apoio à criação e fortalecimento das entidades de classe que formam o sistema; promoção de qualificação profissional; desburocratização do sistema; criação de programas de mentoria; utilização de metodologias de Compliance e programas de gestão de medidores de desempenho para os profissionais que trabalham no Crea”, declarou a engenheira civil Kelly Ambrósio.

O deputado federal Alberto Neto, embora não seja engenheiro, agrônomo ou profissional da geociências de formação, reconheceu a importância dos profissionais para a sociedade e endossou a candidatura do grupo do ‘Crea para Todos’. “Eu acredito que este grupo, que tem ideias novas, pode fazer mais pela mobilidade urbana, apresentar novas ideias para o nosso estado. Tenho certeza de que este grupo tem a capacidade de unir os profissionais. Contem comigo”, afirmou Alberto Neto.

O engenheiro civil, ex-presidente do Crea-AM e atual candidato a diretor-geral da Mútua, Cláudio Guenka, abriu o evento pedindo união para que juntos, a nova diretoria da instituição e os profissionais filiados, possam definir os rumos da Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea-AM. “Hoje, sem dúvida alguma, este grupo reúne os melhores nomes para administrar o Confea, o Crea e a Mútua por causa da experiência profissional, do conhecimento que detêm sobre os sistemas e, principalmente, porque desejam contribuir para a evolução. Precisamos avançar nas melhorias dos sistemas, no atendimento dispensado aos profissionais e no oferecimento de benefícios”, declarou Cláudio Guenka.

A candidata ao cargo de diretora Administrativa, a engenheira civil Denise Braga, complementou a fala sobre as novas diretrizes na Mútua. “A Caixa de Assistência se voltará a atender os profissionais, seja na questão financeira, ou por meio de benefício não reembolsável ou com fechamento de novas parcerias que proporcionem vantagens para quem está entrando na vida profissional e para os mais experientes”, declarou Denise Braga.

O candidato ao cargo de presidente do Crea, o engenheiro civil e empresário Alisson Leão, defendeu o diálogo e a seriedade na utilização dos recursos das contribuições e das verbas do conselho. “O princípio que irá nortear a minha administração do Crea será a transparência. Iremos prestar contas aos profissionais sobre a utilização de cada centavo apurado. Vamos abrir a caixa preta do conselho. O Cláudio, quando deixou a presidência do Crea, deixou no caixa R$ 12 milhões e o projeto da nova sede. O dinheiro foi gasto integralmente e, hoje, o Crea teve de pedir ajuda, pedir dinheiro de fora para honrar a folha de pagamento. Tem alguma coisa errada. Vamos descobrir e acabar com o que emperra a evolução do conselho que não é meu, mas de todos”, afirmou Alisson Leão.

O engenheiro agrônomo e candidato à presidência do Confea, Francisco Almeida, encerrou a noite elogiando os profissionais do Amazonas pela recepção calorosa.  “Eu estou muito emocionado. Tô viajando há mais um mês e essa foi a maior reunião que eu participei. Vocês estão de parabéns. O Amazonas vai ter um representante lá no Confea. Nós precisamos sair do eixo Rio e São Paulo e sair pelo Brasil. Conheço todos os estados do Norte e do Nordeste. Não pode haver diferenciação. Temos de ter tratamentos iguais. A nossa proposta é sair da casinha. Não podemos mais ter um conselho nas mãos de apenas 18 conselheiros, com R$ 750 milhões em caixa e os Creas à míngua. Para que este dinheiro lá em Brasília? E os profissionais, nem se fala em piso?”, disse Francisco que comprometeu-se a fazer uma gestão pautada na recuperação do sistema como um todo e valorização dos profissionais para que exerçam suas atividades com a certeza de receberem salários dignos.

 

 

Fonte: Crea-Am

Foto: Divulgação