Ronaldo tem como um dos principais desafios as dívidas esportivas. Atualmente, já existe um transfer ban por débitos no tribunal da Fifa. No total, o Cruzeiro tem pendências de R$ 110 milhões em cobranças em cortes da federação internacional e da CBF. As dívidas em tribunais são com jogadores, agentes ou clubes que não foram pagos pelo time albiceleste. Esses compromissos têm especial peso porque podem gerar punições esportivas como transfer ban ou perda de pontos

Além disso, há um fator complicador por conta do conflito jurídico entre a Justiça comum e as decisões dos tribunais das federações. Como mostrado pelo blog, ainda há lacunas sobre como serão os procedimentos para o pagamento dos débitos. É possível que as SAFs sejam impedidas de pagar diretamente aos credores ou que tenham suas penas suspensas. Ronaldo já pagou R$ 26 milhões em débitos na Fifa desde que assinou o acordo inicial de compra do Cruzeiro SAF.

Há outros R$ 14 milhões em aberto relacionados a duas dívidas já com execução pelos tribunais, uma referente a contratação de Caicedo. Ronaldo terá de pagar para registrar novos reforços. Além disso, há outros R$ 26 milhões em a dívida total na entidade é de R$ 40 milhões

É um valor bem menor do que do final de 2020, início da gestão do presidente cruzeirense, Sergio Rodrigues. Naquele período, eram R$ 91 milhões em débitos com clubes e com custas processuais na federação internacional. O Cruzeiro pagou boa parte desses valores e a cotação do euro recuou. O problema é que há cerca de R$ 70 milhões em cobranças feitas na CNRD (tribunal da CBF que trata de débitos dentro do país).

É nesta corte, por exemplo, que está a cobrança do Atlético-MG a Fred de multa por ter se transferido ao Cruzeiro. O clube é devedor solidário. Ao final de 2020, o clube registrava R$ 52 milhões em débitos no tribunal da CBF que tem sido menos célere nas punições do que a Fifa

O total de débitos nos dois tribunais é bem superior ao que Ronaldo é obrigado a investir de fato no Cruzeiro – R$ 50 milhões. Mas o ex-jogador já obteve a autorização do Conselho Deliberativo para entrar com processo de recuperação judicial. Com isso, é possível que a SAF possa suspender punições enquanto paga as pendências esportivas dentro do processo judicial, na fila dos outros credores. Há essa prerrogativa em uma legislação da Fifa neste sentido. A ver se será aceito nos casos de recuperação no Brasil

Fonte: Uol