curta-metragem ‘Rotina Cabocla’, do diretor Marcelo Ramos, foi selecionado para o ‘D´Olhar – Festival Itinerante de Dança e Vídeo’. O documentário acompanha os passos de jovens ribeirinhos que fazem parte do Grupo Arte e Movimento do município de Codajás, interior do Amazonas.

‘Rotina Cabocla’ é o único representante da Região Norte no festival, que vai ser realizado de 24 a 28 de maio de 2022 em Goiânia, no Sesc Centro Goiás.

A produção audiovisual selecionada leva o mesmo nome do espetáculo encenado pelo Grupo Arte e Movimento, que é coordenado pelo coreógrafo Kevin Peres e composto por jovens do município amazonense onde as gravações ocorreram.

O documentário e o espetáculo ‘Rotina Cabocla’ foram gravados em 2021. Ambos são frutos de um projeto vencedor do Prêmio Feliciano Lana, realizado pelo Governo do Amazonas com fomento da Lei Aldir Blanc.

Inspiração na Amazônia

De acordo com Ramos, a documentação da história do grupo e o registro do espetáculo são importantes para a cidade de Codajás.

“O documentário nasceu da percepção de que era necessário registrar esse trabalho conceitual, genuíno, quase autodidata e feito com qualidade pelo Kevin Peres e os seus bailarinos. O documentário não conta apenas a história do grupo, mas também mostra a realidade e as dificuldades que quem se aventura a fazer arte no nosso Amazonas enfrenta”, disse o diretor.

Já o coreógrafo Kevin Peres destaca a relevância da produção cultural do município ganhar destaque. “É uma felicidade imensa saber que um trabalho feito no interior do Amazonas que retrata o nosso cotidiano e a nossa realidade através da dança obteve a aprovação em um festival importante e que abrange um cenário nacional e internacional. Estamos todos orgulhosos de levarmos o nome de Codajás tão longe”, disse.

O filme tem 15min de duração e também pode ser conferido gratuitamente no canal da companhia de dança (@GrupoArteeMovimentoCodajás) no Youtube.

A obra também já foi selecionada para o 4º Olhar do Norte Festival de Cinema.

Festival Itinerante de Dança e Vídeo

Segundo a organização do festival, ao todo foram inscritas 222 obras de diversos países, das quais foram selecionadas 62 que exteriorizam a dança em diversos contextos e diversas realidades sociais para exibição nas categorias de Videodança e Documentário.

No fim deste mês de maio, o ‘D’Olhar’ promoverá a realização de oficinas de videodança, exibição dos filmes inscritos na mostra competitiva, premiações, além de apresentações de espetáculos de dança e instalação interativa.

Também haverá exibição dos filmes premiados em quatro parques da cidade, seguindo para os municípios de Pirenópolis e Alto Paraíso de Goiás, no Estado de Goiás. Todas as atividades terão entrada gratuita.

Foto: divulgação