Manaus – Nesta segunda-feira (14), a defensora pública e pré-candidata ao Governo do Amazonas, Carol Braz recebeu o trófeu do Prêmio Innovare, Oscar da área do Direito, através da representante no Amazonas, Nádia Aguiar, após o anúncio de reconhecimento da prática ‘Órfãos do Feminícidio’ como vencedor da premiação em dezembro de 2021.

A entrega foi realizada na unidade da Defensoria Pública no Shopping Cidade Leste, com a presença de familiares atendidas pelo projeto.

A advogada Nádia Aguiar fez a entrega do trófeu nas mãos da defensora pública, Carol Braz. ‘São três camadas de emoção, como consultora Innovare, a minha prática que eu visitei, que eu conheci ser vencedora já é uma emoção, como advogada, ter contato com esse tipo de ação saindo do judiciário é extremamente motivante e a terceira camada é como mulher, a prática me atinge diretamente. Então como falei, me tocou profundamente e torci muito que essa ação tivesse visibilidade, pois mais do que nunca, temos que mudar essa realidade brasileira da nossa sociedade, que é uma sociedade violenta contra mulheres. A gente inicia aqui hoje um novo momento, que a gente saia daqui fortalecidos e comprometidos com essa temática. Vamos lutar contra essa violência e as meninas estão de parabéns’, finaliza.

Ela também destacou o trabalho da Defensora Pública Carol Braz. ‘Sou fã da Carol Braz. Ela é uma lutadora, ela é digamos, uma justiceira, não só pelo fato de aplicar justiça, pois é o papel dela como uma servidora pública, mas a justiça está no sangue dela e ela quer ver a justiça sendo feita, pois toca na humana Carol Braz e não só na Defensora Carol Braz’.

Assista ao relato do Industriário Francisco que perdeu a irmã para o Feminicídio, sua família foi atendida pelo trabalho Órfãos do Feminícidio.

O projeto Órfãos do Feminicídio oferece atendimento jurídico e psicossocial através da Defensoria Pública e instituições parceiras para crianças e adolescentes órfãos das vítimas do crime de feminicídio. O Núcleo de Proteção e Defesa aos Direitos da Mulher (NUDEM) fez um levantamento dos processos tipificados como feminicídio (consumado ou tentado), iniciados a partir de março de 2015, nas três Varas do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus. A partir do estudo documental, foi feito contato com as famílias das vítimas e o acompanhamento social e psicológico com visitas domiciliares, repetidas a cada 6 meses para coleta de dados por entrevistas, para identificar as condições dos órfãos e os fatores que levaram aos casos de feminicídio.

Nas redes sociais, Carol Braz afirmou que o reconhecimento do trófeu vale também pra toda sua equipe multidisplicinar e todos que colaboraram com a prática.