Pouco lembrado pela maioria das pessoas, o Dia do Homem é comemorado no Brasil nesta sexta-feira (15). A data busca conscientizar a população masculina para a importância dos cuidados com a saúde e da adoção de hábitos saudáveis para a prevenção de doenças e a manutenção do bem-estar e da qualidade de vida. “A data é uma oportunidade para que os homens cuidem da sua saúde.

Existem diversas doenças relacionadas ao tabaco, sedentarismo e ao estilo de vida não saudável, que podem ser evitadas com a prática de atividade física, a adoção de uma alimentação saudável e a redução do estresse e da ansiedade, aliados a visitas regulares ao médico e à realização de exames periódicos”, destaca o endocrinologista e consultor técnico do Grupo Sabin, Guilherme Manso de Lima. A manutenção da saúde está totalmente vinculada ao autocuidado.

Por isso, é importante que o homem realize check-ups periódicos. Os exames de rotina são capazes de monitorar, proteger e realizar diagnósticos precoces de doenças, possibilitando a adoção de tratamentos menos agressivos e com taxas de sucesso mais satisfatórias. “Os cuidados com a saúde são ainda mais essenciais para as pessoas que possuem problemas crônicos, como diabetes e cardiopatias, especialmente durante a pandemia. Isso porque indivíduos com mais de duas doenças associadas podem ter agravado o quadro de infecção pela Covid-19”, destaca o especialista.

A data também incentiva os homens a conhecer e ficar atentos ao próprio corpo. Essa prática auxilia na detecção precoce de doenças, especialmente aquelas que possuem evolução silenciosa, como doenças crônicas, a exemplo da diabetes e hipertensão, e alguns tipos de câncer. Entre as neoplasias mais comuns entre os homens – de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca) – estão: próstata; cólon e reto; traqueia, brônquio e pulmão; estômago; e boca.

*Câncer de próstata*

Segunda neoplasia mais comum entre os homens, de acordo com o Inca, o câncer de próstata é considerado uma doença de evolução silenciosa. Por esse motivo, a prevenção é o melhor caminho. “É de extrema importância realizar consultas com o urologista, principalmente após os 45 anos (pessoas com fatores de risco) ou 50 anos, já que a idade é também um agravante da doença”, explica Guilherme. Uma das formas de identificar as alterações causadas pela doença é o teste PSA, sigla em inglês para Antígeno Prostático Específico. “O resultado do exame, realizado a partir de uma amostra de sangue, auxilia o médico na avaliação do paciente. Combinado com o exame clínico, é um grande aliado para a detecção precoce da doença.

A idade ideal para fazer os exames de rastreamento depende de uma avaliação do urologista”, destaca o médico. Em geral, homens com 45 anos de idade e com fatores de risco (histórico de câncer de próstata na família e sobrepeso/obesidade), ou com 50 anos, ainda que sem esses fatores, devem ir ao urologista para consultas periódicas e realizar exames que permitem avaliar as possíveis alterações na glândula.

A manutenção de hábitos saudáveis, com atenção para alimentação e prática de atividades físicas, além da observação regular do corpo, da realização de consultas de rotina e check-ups regulares, podem auxiliar na saúde integrativa do homem, reduzindo as chances de doenças, especialmente as consideradas crônicas ou graves. Foto: Los Muertos Crew/Pexels