Imunizantes são seguros, gratuitos e estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs)

Para celebrar o Dia do Jovem, comemorado no Brasil nesta quarta-feira (13/04), o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), reforça que a vacinação é a forma mais eficiente de prevenção de inúmeras doenças que afetam os jovens e adolescentes.

No calendário vacinal do Programa Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde, são indicadas e disponibilizadas na rede pública de saúde as vacinas para Hepatite B, Meningocócica Conjugada, Febre Amarela, Tríplice Viral (sarampo, caxumba e rubéola), Dupla Adulto (difteria e tétano), Papilomavírus Humano (HPV) e contra a Covid-19. Os imunizantes são seguros, gratuitos e estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), de responsabilidade dos municípios.

HPV – Desde 2013, a vacina contra o HPV é a prevenção primária ao câncer do colo uterino e está disponível para meninas com idade entre 9 e 14 anos. A vacinação dos meninos na faixa etária de 11 aos 14 anos foi incorporada ao PNI somente em 2017. O imunizante é gratuito, eficaz e seguro e se encontra disponível nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

Para a coordenadora do PNI no Amazonas, Izabel Nascimento, com o início da pandemia de Covid-19, a cobertura vacinal contra HPV caiu, e é preciso reforçar a importância da vacina. São necessárias duas doses para garantir a imunização.

“O que estamos mostrando é que a vacina está aí e precisamos buscar a cobertura vacinal do maior quantitativo das crianças de 9 a 13 anos. É de suma importância que os pais levem seus filhos para tomar a primeira e a segunda dose”, destaca.

De acordo com dados da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), em 2021, no Amazonas, foram aplicadas 90.198 doses de vacina contra HPV, sendo 53.554 em meninas (29.920 de primeira dose e 23.634 de segunda dose) e 36.644 (21.063 de 1ª dose e 15.581 de 2ª dose) em meninos.

A vacina contra HPV está aprovada no Brasil para prevenção de lesões genitais pré-cancerosas de colo do útero, vulva, vagina, do câncer do colo do útero em mulheres e verrugas genitais em mulheres e homens, relacionados ao HPV 6, 11, 16 e 18. No país, o câncer de colo uterino é responsável pela morte de mais de 6 mil mulheres por ano, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca).

A vacina deve ser aplicada preferencialmente na adolescência, antes de iniciada a vida sexual e não provoca efeitos adversos além daqueles relacionados ao local da injeção, como dor leve, rubor e edema.

Covid-19 – Mesmo com o baixo número de casos de Covid-19 no Amazonas, a SES-AM e a FVS-RCP fortalecem o pedido à população jovem para que busque a aplicação da primeira, segunda e da dose de reforço do imunizante. A cobertura vacinal dos jovens no Amazonas está em torno dos 64%, conforme dados do vacinômetro da FVS-RCP.

A diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim, destaca que a dose de reforço é fundamental para manter o nível de anticorpos necessário contra o novo coronavírus. “A vacina confere proteção contra o agravamento da Covid-19, reduzindo a possibilidade de internação hospitalar e óbito. Porém, a partir de quatro meses, é possível que haja queda nos índices de imunidade, daí a importância da aplicação da dose de reforço”, afirma Tatyana.

Faixa etária – O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) define a adolescência como o período entre os 12 e os 18 anos, podendo em casos específicos se estender até os 21 anos. A Organização das Nações Unidas (ONU) considera jovens os indivíduos entre os 15 e 24 anos.

FOTOS: Arthur Castro e Roberto Carlos/Secom; e Rodrigo Santos/SES-AM

SONORAS: Izabel Nascimento, coordenadora do PNI no Amazonas; Tatyana Amorim, diretora-presidente da FVS-RCP