Atrelado ao dólar, moeda que tem apresentado baixa, o preço dos combustíveis não tem sofrido redução para o consumidor

No momento em que o Senado Federal discute projetos de lei para que visam controlar a escalada dos preços de combustíveis no País, o senador Omar Aziz (PSD-AM) questionou no parlamento a Petrobras e o Governo Federal por não reduzirem os valores de acordo com a retração sofrida pela moeda americana. O senador defende que, muito mais do que uma nova legislação, o que reduziria o preço da gasolina seria um comportamento estratégico e solidário ao povo brasileiro por parte do Governo Federal.

Para o parlamentar, chama atenção o fato de que, durante todo o ano de 2021, cada subida do dólar era acompanhada de um novo anúncio de aumento do combustível da Petrobras. Em seu pronunciamento na sessão deliberativa no Senado, Aziz recorda que a desvalorização do real fez US$ 1,00 chegar a custar R$ 5,80, mas que hoje, mesmo com o dólar a R$ 5,00, a Petrobras se mantém omissa quanto à redução do preço do combustível.

“Não podemos é virar a cultura que nós temos hoje, em que se reduz o dólar mas não se reduz na ponta o preço do combustível. Então, Presidente Bolsonaro, liga para o General Luna e pergunte a ele, e responda à nação brasileira por que é que o dólar estava R$5,80 e o preço da gasolina chegou a quase R$7.”, alerta o senador.

Omar Aziz ressalta ainda que a discussão para conter os preços também se faz necessária, visto que o maior beneficiado é o povo e que merece transparência. “O povo brasileiro quer saber por quê. Então, qualquer lei que a gente aprove aqui não vai, no dia seguinte, reduzir.”, reforça o parlamentar.

 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa do Senador Omar Aziz

Foto: Divulgação