Foto: Divulgação

Alex Monteiro disse que além da exposição, o linchamento virtual impacta negativamente na saúde das vítimas.

O Big Brother Brasil 22 estreou nessa segunda-feira, 17, e os internautas já estão atentos a todas as atitudes dos participantes.

Comentar na internet sobre o dia a dia dos confinados se tornou um passatempo, bem como o cancelamento virtual que foi unanime nas últimas edições dos programas desse nicho.

Para o diretor artístico, Ale Monteiro, esse cenário diz muito sobre o mundo em que vivemos atualmente e faz o seguinte questionamento: “As pessoas esperam os realities pelo entretenimento ou pela oportunidade de cancelar os participantes?”.

Infelizmente, a cultura do cancelamento se tornou a justiceira da sociedade, principalmente no universo das redes sociais.

“A situação está fora de controle. E nem só famosos são cancelados. Todos estamos sujeitos a críticas ofensivas e ataques virtuais. Hoje em dia ter ponto de vista diferente é motivo de cancelamento”, disse o especialista.

Além de toda exposição negativa, esses ataques são prejudiciais à saúde mental das vítimas, que acabam desenvolvendo crises de ansiedade e pânico, por exemplo.

Mas, como cancelar o cancelamento? “Essa é daquelas perguntas que valem um milhão e a resposta, só o tempo pode trazer. Mas, até lá, se cada um fizer a sua parte, ser empático e respeitar o outro, muita coisa pode mudar para melhor”, ressaltou Ale.

 

Fonte: Revista Maxima

Foto: Divulgação