TCE

Amazonas – Valorizar o jovem e o adolescente e mantê-los distantes do envolvimento com a criminalidade e as drogas, principalmente nas periferias do Amazonas, é uma das preocupações do candidato a deputado estadual Daniel Almeida. E para manter os jovens longe das drogas, da ociosidade e da criminalidade, o candidato com o número 70070 apresentou, essa semana, nas redes sociais, o projeto Esporte à Meia-noite.

A proposta de campanha tem o objetivo de realizar ações esportivas como futebol, futsal, handebol, skate e outras modalidades, sempre no período noturno, em diversos locais do Amazonas, como forma de chamar a atenção dos adolescentes e jovens que estão ociosos nas ruas, no período noturno.

“A ideia é termos nossos adolescentes e jovens participando de ações esportivas, culturais e de lazer, no período noturno. Em parceria com órgãos públicos, privados e associações, é fundamental o empenho de todos nós, assim como dos familiares desses jovens, para que tenhamos a oportunidade de mantê-los longe da criminalidade”, declarou Daniel em comício no bairro Jorge Teixeira, na noite da última terça-feira (20).

 

É com base na pesquisa Homicídios na Infância e Adolescência no Brasil, da ONG Visão Mundial, que apontou o aumento de 66,14% de homicídios entre crianças e adolescentes, na faixa etária de 10 a 19 anos, que Daniel trata como prioritária a inclusão dos jovens amazonenses dessa faixa etária no projeto.

“É grave a nossa perda. Essa pesquisa tem como base os últimos dez anos. São jovens e adolescentes que deixam de sonhar com uma vida de bem e partem para a criminalidade, onde vão encontrar a morte. Nosso Amazonas está indo nesse tenebroso caminho. E além das minhas propostas de empregabilidade, vejo que o esporte é um fator fundamental para diminuir essa curva. É um projeto, que caso eleito, quero o apoio de todos para mudar essa história”, disse.

Valorização do esporte e da cultura de rua

Ainda dentro da proposta do esporte, Daniel tem buscado conversar com pessoas que realizam ações sociais e esportivas em vários bairros de Manaus. Vendo a falta de apoio a competições urbanas, o candidato se comprometeu em valorizar as modalidades de rua.

“Hoje temos o breaking como esporte olímpico. O que vejo são poucas pessoas apoiarem os eventos de rua, como as batalhas de breaking, batalhas de MCs e até mesmo o próprio skate. Em países de primeiro mundo, esses atletas, dançarinos, são tratados com todo o respeito. Aqui no Brasil são marginalizados. É isso que queremos acabar e valorizar essas pessoas que sonham em levar a bandeira do Amazonas ao lugar mais alto do pódio”, finalizou.