Real,dinheiro, moeda

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), com o apoio do Grupo de Repressão a Estelionato e Outras Fraudes da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Gref/Deic) de Goiás, deflagrou ação policial ao longo de terça (14/09) e quarta-feira (15/09), que resultou nas prisões de quatro pessoas por estelionato e associação criminosa.

A vítima do estelionato é uma senhora de 74 anos, que mora em Manaus e teve um prejuízo de cerca de R$ 24 mil com o golpe. Os estelionatários foram presos em Goiânia, tendo sido identificados como Brenda Eduarda Oliveira, Brenda Pereira Alves, Isaac Rocha de Oliveira Souza e Thaís de Jesus Pereira, de idades não reveladas.

De acordo com o delegado Denis Pinho, titular da DERFD, o crime ocorreu no dia 14 de setembro deste ano, por meio de um aplicativo de mensagens instantâneas. A vítima relatou que um dos golpistas entrou em contato com ela, passando-se por sua filha, e solicitou a quantia de R$ 24 mil.

“A idosa transferiu o valor para a conta, porém, depois da primeira transferência, os infratores pediram mais R$ 10 mil, mas o valor não foi autorizado pelo banco. No dia seguinte, eles pediram mais dinheiro, ocasião em que a mulher foi alertada pelo seu genro que se tratava de um golpe”, explicou o delegado.

A autoridade policial relatou que, após a formalização do Boletim de Ocorrência (BO), as equipes da DERFD iniciaram as diligências e descobriram que o dono da conta em que a idosa fez a transferência morava no estado de Goiás. Sendo assim, foi solicitado apoio da Gref/Deic, que realizou a prisão dos estelionatários.

“Com o grupo, os policiais encontraram um bloco de anotações com os nomes das vítimas, aparelhos celulares, cartões de crédito, drogas e duas armas de fogo, sendo um revólver calibre 38 e uma pistola 380. As investigações sobre o caso irão continuar para que seja capturado um outro envolvido que conseguiu empreender fuga”, relatou Denis Pinho.

As quatro pessoas serão recambiadas para uma unidade prisional de Manaus, onde responderão pelos crimes de estelionato, associação criminosa e porte de arma de fogo de uso permitido.