TCE


Radyr Gomes rechaçou informações de que municípios do Amazonas vão ser afetados com desabastecimento de combustível para as usinas termoelétricas

A concessionária Amazonas Energia informou em coletiva de imprensa realizada nesta terça-feira (10/10) que tem acompanhado o fenômeno que está sendo chamado pelos especialistas de “Super El Niño” e os efeitos da estiagem que assola o estado. A empresa afirmou que o abastecimento de energia está garantido em todo o estado.

O diretor de Relações Institucionais da Amazonas Energia, Radyr Gomes, negou que cidades do Amazonas enfrentem problema de geração de energia elétrica devido à falta de combustível em razão da dificuldade de navegação das balsas com combustíveis.
“Quero tranquilizar aos amazonenses, aos nossos clientes, que por falta de diesel, de desabastecimento de diesel, não vai ter problema de geração de energia (no Amazonas)”, disse o diretor.

De acordo com Radyr Gomes, 75% dos clientes da Amazonas Energia não dependem da navegação fluvial para envio e recebimento de suprimentos para usinas termelétricas. “Nós temos a Região Metropolitana, Manaus, Manacapuru, Presidente Figueiredo, Iranduba, Parintins, Itacoatiara, que estão interligadas ao Sistema Integrado Nacional (SIN). Nós temos um gasoduto (Urucu-Coari-Manaus) que tem cinco usinas, sendo em Coari, Codajás, Anori, Anamã, Caapiranga, e o combustível não depende de transporte, a não ser pelo gasoduto”, informou Radyr.

Em doze usinas, o transporte do combustível para as máquinas é feito por via terrestre e não sofrem alteração por conta da estiagem; são elas: Itapiranga, Silves, Rio Preto da Eva, Vila de Lindoia, Novo Airão, Novo Céu, Novo Remanso, duas usinas no Castanho, Vila de Matupí, Manaquiri e Apuí.

O diretor esclareceu, que ontem (09/10), chegou uma balsa com combustível em Santa Izabel do Rio Negro garantindo assim o abastecimento na cidade para os meses de outubro e novembro, assim, resolvendo a única localidade que possuía dificuldade na logística do transporte.

A empresa informou que cerca de cinco mil famílias estão totalmente isoladas e o acesso esta comprometido para a realização de serviços comerciais e de emergência. “Grande parte desses cinco mil clientes estão na calha do Alto Solimões e Juruá; áreas mais afetadas pela estiagem em todo o Estado”, diz a Amazonas Energia.

Fronteira

A amazonas Energia montou um plano para enfrentar a estiagem nas áreas de segurança nacional (pelotões de fronteira) que estão com seus estoques garantidos até janeiro/2024. São eles: Palmeiras do Javari, Estirão do Equador, Ipiranga, Vila Bitencourt, Cucuí e Iauaretê.

Consumo

Ontem (09/10), mais uma vez, Manaus e Região Metropolitana registraram recorde histórico de consumo de energia elétrica. Às 21h47, o pico de consumo chegou a 1.742 mega watts.

 

 

 

Fonte: Assessoria de Imprensa da Amazonas Energia

Foto: Divulgação