Oficina será realizada até esta terça-feira (24/05)

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), vinculada à Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM), iniciou nesta segunda-feira (23/05) a concluirá amanhã (24/05), a Oficina Estratégia Multimodal, voltada a abordar a importância da higiene das mãos como procedimento redutor das Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (IRAS).
A oficina visa intensificar as ações propostas pela estratégia e alcançar a melhoria de infraestrutura para higiene das mãos, juntamente com aprimoramento do conhecimento e percepção sobre higienização das mãos, atuando na redução de infecções que são preveníveis.
O diretor técnico da FVS-RCP, Daniel Barros, destaca que higienização das mãos é uma etapa primordial para a redução de infecção. “Melhorar a adesão à higiene das mãos pelos profissionais de saúde que trabalham com pacientes visa reduzir a propagação de infecções e microrganismos multirresistentes, e, assim, evitar o desperdício de recursos e salvar vidas”, afirma Daniel.
Segundo a enfermeira do Comissão Estadual de Prevenção e Controle de Infecção em Serviços de Saúde (Ceccis/FVS-RCP), Roberta Danielli, destacas que a oficina é denominada “estratégia multimodal”, que inclui o processo de higienização das mãos, passando pelo monitoramento da Vigilância em Saúde em parceria com a equipe assistencial.
“Não adianta a gente cobrar higienização das mãos se não houver a primeira etapa, a de estrutura, por exemplo. Então, é preciso estarmos orientando, inclusive em relação aos produtos usados, para que equipes executem a higienização das mãos”, ressalta Roberta.
Para a enfermeira do Instituto da Mulher Dona Lindu, Alzira Duarte, que participa da oficina, a estratégia multimodal é fundamental dentro das instituições públicas e particulares. “A higiene das mãos é um dos fatores que podemos evitar a proliferação de microrganismos”, ressalta a enfermeira.

Higienização
A falta de higienização das mãos constitui a principal via de transmissão de microrganismos durante a assistência prestada aos pacientes. A pele é um possível reservatório de diversos microrganismos que podem se transferir de uma superfície para outra, por meio de contato direto (pele com pele), ou indireto, através do contato com objetos e superfícies contaminadas.
É a medida individual mais simples e menos dispendiosa para prevenir a propagação das Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (IRAS). Recentemente, o termo “lavagem das mãos” foi substituído por “higienização das mãos” devido à maior abrangência deste procedimento. O termo engloba desde a higienização simples até a antissepsia cirúrgica das mãos.

Referência
A FVS-RCP é responsável pela Vigilância em Saúde do Amazonas. A instituição funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na avenida Torquato Tapajós, 4.010, Colônia Santo Antônio, Manaus. Os números para contato são (92) 3182-8550 e 3182-8551.

FOTOS: Girlene Medeiros/FVS-RCP
*Legendas: Oficina Estratégia Multimodal auxilia na redução das Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde