A esperança de Rosiane dos Santos Silva, 37, se manteve firme ao longo de 10 anos, até o momento em que o sonho da casa própria se tornou realidade. Sorteada, por meio do programa habitacional da Prefeitura de Manaus, que integra o programa federal “Casa Verde e Amarela”, do Ministério do Desenvolvimento Regional, a dona de casa recebeu uma das chaves das 500 moradias populares entregues, no último dia 18/8, às famílias manauaras em situação de vulnerabilidade social.

“Estava em busca da tão sonhada casa própria. Eu nunca perdi a fé. Venho lutando durante todos esses anos passando de uma casa para outra, sem ter um local fixo para morar com meu filho. Foi longa a jornada até aqui, mas eu fui contemplada. Quando eu vi o meu nome na lista, vibrei de alegria. Eu só tenho a agradecer à prefeitura, ao prefeito David Almeida e sua equipe maravilhosa, que me incentivou a participar das reuniões e nos acompanhou durante o processo”, disse a mãe do Allan Pedro, de 3 anos, portador de síndrome do Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Rosiane morava em um imóvel alugado com o filho, no bairro Cidade Nova, zona Norte. Com apoio da força-tarefa da prefeitura, se mudou para o residencial multifamiliar Cidadão Manauara 2, etapa B, localizado no bairro Santa Etelvina, no dia 29 de agosto.

“Saímos de um imóvel pequeno, que não tinha espaço para o Allan. Tudo mudou, estamos morando na nossa casa, fazendo um investimento para gente. Agora, meu filho tem um quarto, tem parquinho, tem um espaço verde para correr e gastar bastante energia. Agradeço muito a Deus e à prefeitura, por essa oportunidade”, relatou a dona de casa.

Rosiane se dedica somente ao desenvolvimento e qualidade de vida do filho. Atualmente, ela vive com o auxílio de programas federais e a contemplação com a moradia popular chegou em boa hora. “Está sendo longa essa jornada. A gente fez uma parceria com a prefeitura de sermos acompanhados até a contemplação. Eles sempre falavam que iria dar certo, e deu muito certo. Agora meu filho tem uma casa digna. É muito difícil ser mãe-solo, mas quando nos encontramos em um ambiente bom e confortável fica mais fácil. Só tenho a agradecer à prefeitura por esse sonho realizado”, finalizou.

 

Contemplados

 

As famílias foram selecionadas no banco de dados da prefeitura pelo cadastro municipal de habitação inserido no Sistema Nacional de Cadastro Habitacional (SNCH), obedecendo aos critérios estabelecidos pelo Ministério das Cidades: famílias residentes em área de risco ou insalubres ou que tenham sido desabrigadas; famílias com mulheres responsáveis pela unidade familiar; famílias que tenham Pessoas com Deficiência (PcDs); pessoas idosas na condição de titulares do benefício habitacional e PcDs.

 

Os contemplados terão o financiamento do imóvel parcelado em 120 meses (10 anos), com mensalidades fixas, entre R$ 80 e R$ 270, dependendo da renda familiar (até R$ 1.800, faixa 1); e o imóvel adquirido é usado no contrato como garantia do financiamento. Após a quitação, o imóvel passa para o nome do beneficiário, e aqueles que integram a faixa 1 não podem vender, alugar ou ceder o bem.

 

Os moradores serão isentos de Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), como medida da gestão David Almeida, por lei municipal.

 

Residencial

 

Cada torre do residencial Cidadão Manauara 2 tem cinco andares, sistemas de gás encanado e de água, além de instalações hidrossanitárias.

 

Os apartamentos são adaptados, atendendo à Norma Brasileira (NBR) nº 9.500, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que trata da acessibilidade a edificações, mobiliários, espaços e equipamentos urbanos para Pessoas com deficiência (PcDs), inclusive nas áreas comuns.