O ex-diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias deve depor hoje na CPI da Covid-19. Ele foi exonerado do cargo após o escândalo do suposto pagamento de propina no processo de compra de vacinas.

Dias deve ser sabatinado pelos senadores à respeito das negociações e das acusações feitas por Luiz Paulo Dominguetti, que se apresentava como representante da Davati Medical Supply.

Dominguetti disse publicamente que o ex-diretor jantou com ele em fevereiro e na ocasião, cobrou propina de US$ 1 por dose da vacina Astrazeneca.

Roberto nega as acusações, mas acabou deixando o cargo em meio à polêmica. O ex-servidor também é acusado de cometer irregularidades nas negociações da Covaxin. De acordo com Luis Ricardo Miranda, Dias o pressionava para que ele adiantasse a aquisição de vacinas em um contrato que previa o pagamento de R$ 20 milhões.