Presidente cubano descartou que causa tenha sido uma bomba

 

 Uma forte explosão atingiu um conhecido hotel no centro de Havana nesta sexta-feira (6), destruindo vários andares nas laterais do prédio e matando pelo menos quatro pessoas, afirmaram testemunhas e a imprensa estatal cubana.

O presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, falando da cena do desastre em transmissão da televisão cubana, disse que a explosão no Hotel Saratoga não foi causada por uma bomba, acrescentando que um vazamento de gás parece ser a causa mais provável.

O canal estatal de televisão disse que a explosão deixou quatro pessoas mortas e várias outras feridas.

Fotos do jornal oficial do Partido Comunista, o Granma, mostram imagens do prédio do hotel, de vários andares, com as paredes derrubadas pela explosão.

Uma testemunha da Reuters viu fumaça e chamas vindas do edifício. Policiais e equipes de resgate correram para a cena, isolando pontos importantes e prédios na região, incluindo o edifício histórico do Capitólio.

Uma foto da cena mostrou o que parecia ser pelo menos um corpo coberto com um tecido branco no local.

Na região, ambulâncias foram vistas chegando a um hospital na cidade antiga de Havana, cercadas por médicos, enfermeiras, policiais e curiosos.

O hotel em estilo neoclássico foi remodelado por uma empresa britânica após a queda da União Soviética, e era considerado o local procurado por autoridades governamentais e celebridades em visita à ilha por muitos anos. Mais recentemente, o Saratoga havia perdido um pouco de seu brilho com a abertura de novos hotéis em Havana, mas mantinha suas cinco estrelas.

O hotel estava pronto para sua reabertura pós-pandêmica, que aconteceria em quatro dias, segundo sua página do Facebook.

 

 

Fonte: Agencia Brasil

Foto: Alexandre Meneghini