Vinte e oito obras de artistas amazonenses estão em exposição no Centro Cultural Palácio Rio Negro (avenida Sete de Setembro, 1546, Centro), com entrada gratuita.

As obras apresentam temas ligados ao meio ambiente, costumes ribeirinhos, fauna e flora amazônica, na exposição que celebra o aniversário de 42 anos da Associação Amazonense de Artistas Plásticos (Amap).

A exposição “Amap 42 anos de resistência – o curupira correu na floresta” é promovida pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa. A exposição comemorativa conta com a participação de 16 artistas plásticos e curadoria de Turenko Beça.

Cores vibrantes, diferentes habilidades que vão do óleo sobre tela até técnicas sobre compensado, ilustram o trabalho dos artistas. A abordagem passa pelo impressionismo, expressionismo, construtivismo, op art, surrealismo e realismo.

Mês do artista plástico

A mostra também é uma comemoração pelo Dia do Artista Plástico, celebrado em 8 de maio.

“Tivemos esse cuidado de propor a exposição no mês do Artista Plástico, para valorizar o trabalho da Amap, que há 42 anos reúne esses profissionais, agregando valor às artes amazônidas”, diz o secretário de Estado de Cultura e Economia Criativa, Marcos Apolo Muniz. “Fica o nosso convite a todos para prestigiar artistas e impulsionar esse reencontro dos artistas com o público”.

Artistas consagrados como Francimar Barbosa, Sebastião Cândido, Evanil Maciel e Pietro Bruno; novos talentos como Laís Fernanda Borges, Rosemberg Prado e Naílson Novato – estão entre os nomes presentes na exposição.

O Palácio Rio Negro recebe visitantes de terça-feira a sábado, das 9h às 17h, com entrada gratuita e sem agendamento.

Fonte: G1 AM

Foto: Divulgação