Denúncia se baseia no caso do lateral Byron Castillo, que disputou jogos pela seleção equatoriana nas Eliminatórias, mas teria mentido sobre nacionalidade e idade

O Chile entrou com recurso na Fifa para tentar assumir o lugar do Equador na Copa do Mundo do Catar. A ANFP (federação de futebol chilena) enviou na quarta-feira (4) uma denúncia contra o lateral-direito Byron Castillo e a federação equatoriana de futebol à Comissão Disciplinar da entidade máxima do futebol mundial.

Os chilenos sustentam a denúncia com base no caso de Castillo, que teria mentido em sua certidão de nascimento, declaração de idade e nacionalidade. Segundo o jornal Marca, da Espanha, um julgamento no Equador determinou que o lateral-direito, que atuou em oito partidas pela seleção equatoriana nas Eliminatórias, nasceu, na verdade, em Tumaco, uma cidade do interior da Colômbia — e não no município equatoriano de Playas, onde ele alega ter nascido.

“Entendemos, com base em todas as informações e documentos compilados, que os feitos são demasiado graves e devem ser investigados a fundo pela Fifa. Existem inúmeras provas de que o jogador nasceu na Colômbia, na cidade de Tumaco, no dia 25 de julho de 1995, e não em 10 de novembro de 1998, na cidade equatoriana de General Villamil Playas”, afirmou a ANFP em nota publicada nesta quinta-feira (5).

A federação chilena exige que a seleção do Equador perca os pontos dos oito jogos das Eliminatórias em que Byron Castillo atuou e que os países que enfrentaram os equatorianos nesses jogos ganhem os 3 pontos das partidas. Com essa nova combinação de resultados, o Chile asseguraria sua vaga na Copa do Mundo.

Em campo, a seleção chilena terminou as Eliminatórias na sétima colocação, com 19 pontos. Já o Equador ficou em quarto na colocação geral, com 26 pontos. Como Castillo não jogou contra Peru e Colômbia, duas seleções à frente do Chile na tabela, esses países não ganhariam pontos e terminariam em quinto e sexto lugar, respectivamente.

 

 

Fonte: R7

Foto: Divulgação