TCE


Em parceria com o Senac-DF, o jornal realiza, nesta quinta-feira (23/11), fórum com o intuito de falar sobre a educação profissional e o primeiro emprego para jovens. Autoridades irão participar do debate

 

Dados divulgados na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua Trimestral, divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram que o Brasil encerrou o terceiro trimestre, terminado em setembro, com recuo de 0,4 ponto percentual na taxa de desocupação, termômetro do desemprego no Brasil, em relação ao 2º trimestre do ano (8%), e queda de 1,0 ponto percentual ante o mesmo período de 2022 (8,7%). Apesar de ser considerado positivo nacionalmente, o resultado é puxado pelo estado de São Paulo — maior contingente de trabalhadores —, que registrou uma queda expressiva, de 7,8% para 7,1%.

Com base nesse e em outros dados, principalmente em relação à dificuldade dos jovens de se inserirem no mercado de trabalho, o Correio Braziliense promove, hoje, o CB Fórum Educação Profissional e o Primeiro Emprego, em parceria do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial do Distrito Federal (Senac-DF). O ministro do Trabalho, Luiz Marinho, confirmou presença. “Uma das minhas grandes preocupações desde que assumi o Ministério do Trabalho e Emprego tem sido com a baixa qualidade dos empregos, ou seja, empregos de baixos salários. E isso tem relação direta com a qualificação dos trabalhadores e das trabalhadoras. E essa iniciativa do Correio é extremamente importante para que possamos debater profundamente esse tema e encontrar soluções para mudarmos essa triste realidade.”

O jornal receberá especialistas na área, autoridades e políticos para debater sobre o tema, que ocorrerá em dois painéis. O diretor-regional do Senac, Vitor Corrêa, salientou ser necessário que a juventude esteja dentro das empresas, por meio de ensino técnico. “Estamos animados para falar sobre o primeiro emprego. Vamos destacar experiências que estamos desenvolvendo na capital federal. Uma delas, em parceria com a Secretaria de Educação do Distrito Federal, é a oferta do ensino técnico para estudantes do ensino médio. Estamos com 1,5 mil estudantes nesse projeto, agora, e queremos mais 1,5 mil para o ano que vem”, disse.

“Para se ter uma ideia, pesquisas recentes indicam que a diferença de salário entre quem tem o ensino médio e o técnico é de 30%. O nível de empregabilidade entre os dois é de 32% a mais para quem tem o técnico. São essas demandas que queremos discutir, principalmente nesse momento de discussão sobre a plataforma do ensino médio com o governo federal e local”, explicou.

Debate

O evento contará com dois painéis, que vão abordar o atual mercado de trabalho e a demanda por educação profissional. Os painéis terão a mediação das jornalistas Mariana Niederauer, editora do site do Correio, e Samanta Sallum, titular da coluna Capital S/A, e abordarão os temas: Por que investir em educação profissional?; e Combatendo desigualdades e gerando oportunidades por meio da educação profissional.

Estão confirmados no evento como painelistas Magno Lavigne, secretário de Qualificação do Ministério do Trabalho; Getúlio Marques, secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (Setec/MEC); Vitor Corrêa, diretor regional do Senac-DF; Caetana Juracy, doutora em Educação pela Universidade de Brasília (UnB); Carolina Kotovicz, pesquisadora do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); e o senador Izalci Lucas (PSDB-DF).

Serviço

Fórum Educação Profissional e o Primeiro Emprego

  • Onde: auditório do Correio Braziliense
  • Endereço: SIG Quadra 02 n° 320
  • Horário: 14h30
  • Transmissão: ao vivo pelo YouTube e redes sociais do Correio

Fonte: Correio Braziliense

Foto: Marcelo Ferreira