TCE


A Hapvida NotreDame Intermédica expande o Canal da Mulher para que clientes possam denunciar casos de violência doméstica. O projeto, acessível para todas as clientes da empresa, foi feito em parceria com a ONG As Justiceiras, tem como objetivo suprir a necessidade de canais e sistemas alternativos para combater e prevenir a violência de gênero.

Segundo Ricardo Mota, diretor de Comunicação Corporativa e Diversidade da Hapvida NotreDame Intermédica, a ideia de criar este canal para mulheres é uma evolução do canal de denúncia Sentinela, lançado em 2021 em Fortaleza. “No Brasil, a maioria da população é do sexo feminino, e temos um compromisso social e de cidadania de participar dos movimentos sociais pelo fim da violência contra meninas e mulheres. A partir de nossa experiência com o Canal da Mulher internamente – à princípio aberto para as colaboradoras, que representam 70% do quadro de funcionários da empresa –, agora expandimos para todas as nossas clientes um canal seguro para apoiar, orientar e direcionar em todas as questões relacionadas ao tema. Com mais de 16 milhões de beneficiários em todo o país, é nossa responsabilidade social apoiar e promover esse tema em nossa organização e no Brasil”, afirma, citando que há dois anos tem focado em palestras de conscientização dentro da empresa, fazendo desde guias de orientação, games e treinamentos de violência a outros tipos de esclarecimentos. “Somos parte e temos que transformar o nosso público interno e externo dando voz às mulheres, para que reconheçam e busquem os seus direitos”, observa Ricardo.

De acordo com o Instituto Ipsos, o Brasil está entre os cinco países das nações que mais têm contato com a violência: 70% do grupo é composto por mulheres. “Todos os dados serão tratados com confidencialidade em parceria com a equipe da ONG As Justiceiras, um serviço que atualmente funciona em todo o Brasil com mais de 15 mil mulheres apoiando mulheres. Todas as ligações e atendimento das Justiceiras serão feitos em conjunto com os órgãos competentes (Polícia Militar e delegacias), além de acompanhamento profissional com assistentes sociais, psicólogos e advogados. Esta é uma forma de dar voz para que compartilhem, denunciem e busquem apoio para que, juntamente com a sociedade, possamos apoiar e construir de uma forma mais justa e igualitária, mas, acima de tudo, trabalhar oferecendo suporte, empatia e cuidado, e mostrar também a importância que a Hapvida NotreDame dá à vida”, completa Ricardo Mota.

A escolha pela ONG As Justiceiras foi estratégica, justamente pelo fato de ser uma rede que tem parcerias com organizações/signatários, além de fazer parte do acordo público como a ONU Mulheres e coalizão pelo fim da violência contra as mulheres, o que torna pública a ação junto à sociedade.

“A ampliação dessa parceria é essencial para que a violência doméstica seja combatida de todas as formas. Por isso, ter uma empresa como a Hapvida NDI apoiando essa causa é fundamental para ganhar mais repercussão em torno de um tema tão importante entre toda a sociedade”, afirma Gabriela Manssur, idealizadora da ONG Justiceiras e advogada especialista em Direitos das Mulheres.

O Canal da Mulher Hapvida NotreDame Intermédica conta com uma força tarefa voluntária de mulheres para oferecer orientação jurídica, psicológica, socioassistencial, médica e rede de apoio e acolhimento, e está disponível 24 horas por dia, sete dias por semana.

Para se conectar à plataforma, basta acessar o link Canal da Mulher: https://linktr.ee/canaldamulherhapvidandi

 

 

Fonte: F5 Comunicação

Foto: Divulgação