James Franco e entidades associadas ao ator concordaram em pagar US$ 2,2 milhões (cerca de R$ 11 milhões) como fiança para encerrar um processo de conduta sexual inadequada, no qual Franco é acusado de e pressionar alunas a fazer cenas de sexo excessivamente explícitas em frente às câmeras, quando era professor na agora extinta escola de atuação Studio 4. Sarah Tither-Kaplan e Toni Gaal, duas ex-alunas, devem receber R$ 2,9 milhões cada, e os advogados, R$ 1,5 milhão em honorários.

Outros estudantes receberão o valor restante, cerca de R$ 6,6 milhões.

A proposta será submetida à aprovação de um juiz em Los Angeles. Com o acordo, os estudantes precisam retirar as acusações contra o ator.

Caso parte do dinheiro não seja reclamada, será doada à National Women’s Law Center, uma ONG que defende os direitos das mulheres através de ações judiciais e iniciativas políticas.