Conforme prometido em suas redes sociais, a Presidente da Comissão de Proteção aos Animais, Assuntos Indígenas, Cidadania e Legislação Participativa (CPAIP), deputada estadual Joana Darc (União Brasil), apresentou nessa terça-feira (21), o laudo técnico do corpo da cadela que foi brutalmente arrastada por uma caminhonete até a morte, comprovando que o animal ainda estava com vida no momento em que estava sendo arrastada pelo autor.

A averiguação do corpo do animal foi feita por médicos veterinários que constataram que a cadela faleceu até 4 horas antes da realização do exame, coincidindo com o horário em que foi arrastada. O laudo também aponta que haviam muitas escoriações e fraturas no corpo do animal, o que pode ser de fato a causa de sua morte. “Foi um crime de maus-tratos brutal, pois no momento em que a cadelinha estava sendo arrastada, ela ainda estava viva. Infelizmente ela sofreu muito até o momento em que não resistiu e faleceu”, conta Joana Darc.

Ainda de acordo com a deputada, o laudo contraria a versão dada pelo motorista da caminhonete, de que o animal já estaria morto e com mau cheiro durante o seu “descarte”. ‘Desde o início não acreditamos na história desse indivíduo. Fomos então em busca do corpo e quando achamos ela ficou sob a minha posse sendo levada para realizar a perícia, permitindo-nos entregar as provas concretas à polícia e à justiça, contribuindo para punição desse criminoso’, disse.

A deputada prestará depoimento sobre o caso, nesta quarta (22), na Delegacia Especializada  em Crimes Contra o Meio Ambiente e Urbanismo (Dema). O laudo técnico foi encaminhado para compor o inquérito policial.