Treinador do Atlético-GO disse que comandante rival desrespeitou a arbitragem e também o time dele; Alviverde respondeu

O Palmeiras goleou o Atlético-GO por 4 a 2, nesta quinta-feira (17) e disparou na liderança do Brasileirão. Mas há ao menos uma pessoa que reclama do trabalho de Abel Ferreira. Logo após o jogo, Jorginho, técnico do time derrotado, criticou bastante o comportamento do treinador português.

Segundo ele, o rival e sua comissão não tiveram respeito com a arbitragem e com o próprio Atlético-GO ao baterem palmas para o árbitro Ramon Abatti em forma de ironia das marcações feitas em campo.

“Lamento muito o acontecimento que teve no jogo, discussão minha e do meu auxiliar com o pessoal do Palmeiras. Sou respeitador com o árbitro, mas eles estão faltando respeito com o árbitro, chamaram o árbitro de cego, bateu palma para o árbitro e não aconteceu nada. Relatei para o árbitro. Meu auxiliar tomou cartão, auxiliar deles também levou e quem deveria ser expulso era o Abel. Já não é a primeira vez que ele é expulso”, iniciou Jorginho.

“Eu respeito o Abel como treinador, tem feito um grande trabalho, está de parabéns de ser bicampeão da Libertadores, faz um trabalho maravilhoso, mas o respeito tem que existir comigo, com minha equipe, com o árbitro. Todas as vezes que reclama diz que está dando a favor da gente, mas geralmente é contra a gente. Pedimos uma punição severa e não houve por parte da arbitragem. O quarto árbitro não relatou ao árbitro o que o Abel fez. Não pode acontecer a falta de respeito com árbitro e minha equipe. Não é à toa que ele e toda a comissão são expulsos constantemente. Bater palma para árbitro quer sacanear ele. Me revolta como treinador, brasileiro. Vem no nosso país e está desrespeitando o nosso país. Chamou de cego e nada aconteceu. Mas está tudo bem, vai ficar como choro de perdedor e as coisas passam e não acontece nada, mas quero deixar meu protesto”, finalizou.

A fala de Jorginho ganhou tanta repercussão, que o Palmeiras utilizou as redes sociais para repudiar o fato, descrevendo-o como xenofobia.

 

Com a derrota, o Atlético-GO segue estacionado nos 13 pontos, dentro da zona de rebaixamento.

 

Fonte: R7

Foto: Divulgação