Nesta segunda-feira (10) um portal português Diário de Notícias, chamou a atenção dos internautas, ao apresentar o título ” Há crianças portuguesas que falam “brasileiro”. O tema da reportagem “alerta” os pais portugueses sobre como as crianças estão adotando termos do “brasileiro”.

“Dizem grama em vez de relva, autocarro é ônibus, rebuçado é bala, riscas são listras e leite está na geladeira em vez de no frigorífico”, pontua a matéria.

Segundo a reportagem a razão para o novo “fenômeno” tem um culpado: as redes sociais. Mais especificamente o trabalho de youtubers brasileiros que bombam com as crianças em Portugal, como Luccas Neto.

A reportagem ouve alguns pais que relatam o quanto o contato com as redes sociais andam afetando a “fala” dos filhos. “Todo o discurso dele é como se fosse brasileiro. Chegámos ao ponto de nos perguntarem se algum de nós era brasileiro, eu ou o pai”, conta uma mãe.

O alarme fica mais ameno quando os especialistas em linguagem entram no texto. “Quando eu era menina havia o mesmo pânico social com os livros do tio Patinhas, que era traduzido em português do Brasil. Lembro-me bem da minha professora do primeiro ciclo ter esse pânico. A mesma coisa quando apareceram as novelas…que eram completamente massificadas. Ora, eu acho que esta discussão dos youtubers não é muito diferente”, comenta Catarina Menezes, uma professora de linguística e coordenadora da licenciatura em comunicação e media.

Resposta

O medo do imperialismo linguístico do Brasil e o nacionalismo pouco discreto da reportagem, ganhou força nas redes sociais tupiniquins e, como não poderia deixar de ser, virou um grande meme na mão dos internautas brasileiros.