TCE


Manaus – A defesa de Jussana Machado, acusada de agredir uma babá e balear um advogado durante uma discussão em um condomínio, teve o pedido para a mulher ter prisão especial negado pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM). As agressões e o tiro aconteceram em um condomínio na Ponta Negra, zona oeste de Manaus. O policial civil Raimundo Nonato Machado, marido de Jussana, também está preso pelo crime de lesão corporal.

O advogado de defesa de Jussana usou o argumento de que a mulher poderia sofrer represália por conta da ampla divulgação do caso. O juiz do TJAM explicou que a prisão especial é concedida as pessoas que ocupam algum cargo público ou possuem diploma superior.

Ainda de acordo com o TJAM, a mulher do policial civil não se enquadra em nenhuma das condições no rol do art. 295 do Código de Processo Penal, portanto, o pedido foi indeferido.

Relembre o crime

O investigador da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), identificado como Raimundo Nonato Machado, conhecido como ‘Nonato Careca’ e a mulher Jussna Machado, se envolveram em uma briga na noite do dia 18 de agosto. O investigador incita uma ‘luta’ entre a esposa e a funcionária de uma advogado que ao tentar conter as duas, levou um tiro de raspão na perna. O caso ocorreu no estacionamento de um condomínio, na avenida Coronel Teixeira, bairro Ponta Negra, zona oeste de Manaus.

Prisões

O policial civil Raimundo Nonato Machado responderá pelo crime de lesão corporal contra o advogado Ygor Colares e a babá Claúdia Gonzaga de Lima. A Polícia Civl do Amazonas (PC/AM), esclareceu que Raimundo está afastado do cargo e já foi aberto um inquérito para apurar a conduta do agente. Ainda segundo a PC, ele pode ser responsabilizado por outros crimes.

Jussana Machado foi presa no dia 19 de agosto, durante audiência de custódia por atirar no advogado Dr. Ygor de Menezes Colares. A arma que a mulher usou foi fornecida por Raimundo Nonato. De acordo com a juíza Eulinete Tribuzy, a prisão em flagrante de Jussana foi convertida para prisão preventiva. Ela considera que a soltura da mulher atenta contra a ordem pública e põe em risco a aplicação da lei penal.

Advogado fala de ameaças à babá
O advogado Dr. Ygor Colares, uma das vítimas de agressões e que foi baleado por Jussana Menezes, mulher do policial civil Raimundo Nonato Machado Menezes, disse em entrevista à imprensa, nesta segunda-feira (21), que a outra vítima, a babá Claúdia Gonzaga de Lima, já estava sendo perseguida e ameaçada pelos suspeitos.

a-mulher-que-agrediu-baba-e-atirou-em-advogado/