Ex-presidentes da Fifa e da Uefa são acusados de arranjar ilegalmente pagamentos de milhões de dólares para favorecê-los

A promotoria suíça pediu nesta quarta-feira (15) um ano e oito meses de prisão para Michel Platini, ex-presidente da Uefa, e para o ex-presidente da Fifa, Joseph Blatter, por arranjarem, de forma ilegal, pagamentos de dois milhões de fancos suíços (R$ 9,6 milhões na cotação atual).

Três juízes do Tribunal Criminal Federal de Bellinzona vão ouvir o caso no julgamento que vai até 22 de junho. O veredito deve sair em 8 de julho. Se condenados, Platini e Blatter poderão pegar até cinco anos de prisão.

Por conta do caso, Blatter se afastou do comando da Fifa após 17 anos e acabou com as esperanças do ex-meio-campista francês Platini de sucedê-lo. Essa é apenas uma das 25 investigações da Procuradoria-Geral da Suíça (OAG) sobre corrupção no futebol, que tem cerca de 12 ainda pendentes.

Após uma investigação de seis anos, a OAG acusou Blatter, de 86 anos, de “fraude, na alternativa de apropriação indébita, na alternativa adicional de má gestão criminosa, além de falsificação de documento”.

Blatter e Platini, que já foram aliados próximos, mas agora são inimigos ferrenhos, negaram irregularidades. Eles dizem que tinham um acordo verbal sobre o pagamento, relacionado ao trabalho de consultoria de Platini entre 1998 e 2002.

 

Fonte: R7

Foto: Divulgação