MANAUS (AM) – A procura pelos livros digitais é uma tendência que tem ganhado cada vez mais adeptos e espaço no mercado. Uma pesquisa realizada pela Câmara Brasileira do Livro e Sindicato Nacional dos Editores de Livros, em parceria com a empresa Nielsen, mostrou que, em 2020, foram adquiridos 83% mais e-books do que em 2019, passando de 4,6 milhões para 8,4 milhões de unidades vendidas. Nesta sexta-feira (29), Dia Nacional do Livro, a bibliotecária da Faculdade Santa Teresa, Moara Costa, lista as vantagens desse formato de leitura.

Moara Costa ressalta que o crescimento da adesão pelos livros digitais não significa o fim dos conteúdos impressos. “Os livros físicos continuam sendo bastante procurados e tem um público muito fiel. Um não anula o outro”, disse.

Segundo Moara Costa, os e-books tem algumas vantagens que podem ser consideradas no momento da escolha, como o custo, que é mais baixo, e a interatividade, já que é possível acessar links, marcar pessoas e compartilhar conteúdo nas redes sociais. Outra vantagem é a personalização da leitura. O usuário pode escolher tamanho da letra, espaçamento e tom da cor das páginas.

Ela destaca que seguindo essa tendência dos e-books, a Faculdade Santa Teresa tem investido na digitalização do seu acervo. Hoje, são 22.433 mil títulos virtuais disponíveis na biblioteca virtual e 16.268 mil exemplares físicos. De acordo com Moara, a proposta da instituição é trabalhar de forma integrada os dois modelos. “O livro físico proporciona uma experiência sensorial ao folhear as páginas na busca de um assunto e o aluno tem acesso a vários conteúdos no exemplar. Já o digital democratiza a leitura oferecendo rápido e prático acesso, sendo um centro dinâmico do universo da informação ao disponibilizar em tempo real diversas áreas do conhecimento. Os dois se complementam”, frisou.

Para Moara Costa, a digitalização do acervo oferece soluções que permitem que o conhecimento circule de forma rápida e que contribuam para o processo de ensino/aprendizagem do estudante. “A pandemia acelerou essa realidade tecnológica na faculdade. Com adoção das tecnologias na educação, as bibliotecas virtuais se tornaram um grande aliado para o processo do ensino interativo, assim assumindo uma postura mais inclusiva de acesso a informação”.

Moara acredita que esse formato de leitura digital é uma tendência que vai permanecer e mesmo as pessoas que ainda não estão habituadas passarão a utilizar mais esse meio, intercalando com os livros físicos.

*Com informações da assessoria