TCE


O “BBB24” estreou e trouxe um grande nome para concorrer ao prêmio milionário: Wanessa Camargo. A participação dela trouxe controvérsias e surpresas, dentre elas, Luana Piovani voltou a falar sobre o tópico, principalmente por conta da cantora namorar Dado Dolabella, que agrediu a atriz em 2008 e foi condenado pela Lei Maria da Penha em 2013.

Para Luana, quando alguém aceita participar do reality, que ela fala que é de ‘quinta categoria’ no vídeo, os familiares acabam indo junto e citou a participação de Scooby no “BBB22”:

“Uma vez que a Wanessa está no Big Brother, todas as pessoas que estão com ela, também estão. O ano retrasado, o pai dos meus filhos foi para essa ‘joça’ e eu participei. Graças a Deus, eu fiz um ‘caramilé’ (dinheiro), que era o mínimo que eu podia fazer depois do meu nome ter sido mencionado em vão”.

Ao falar do casal, ela revelou que mais algumas denúncias surgiram, após ela revelar a agressão de Dado e que ele culpava o ‘sangue’ por seus atos de agressividade:

“Essa coisa do casal fofo… ela está lá e está levando o namorado dela, que é um agressor, não importa se hoje ele come ou não come carne. Ele diz que ele batia em mulheres porque ele ingeria sangue. Depois que eu fiz a denúncia, três mulheres vieram falar comigo que apanharam dele… a gente chama quem comete crime de criminoso”.

Luana elogiou Wanessa, mas ressaltou que ela acaba sendo alguém com uma ‘sombra de um criminoso’:

“Wanessa é muito querida, batalhadora, estudiosa e dona do seu destino não está lá sozinha, mas com a sombra de um criminoso ao lado dela… se você acha que tudo bem se relacionar com um cara que já agrediu quatro mulheres, parabéns, é uma escolha sua. Mas de novo o Brasil todo passar pano para um criminoso é problema nosso”.

Piovani ressaltou sobre a escolha das torcidas e ídolos neste início de “Big Brother”, disse que não escuta as músicas de Wanessa e fez um apelo sobre a política brasileira:

“Cada um tem o ídolo que merece e escolhe para si quem quer admirar. Minha régua é bem alta, mas nem todos são assim. Eu não ouço as músicas da Wanessa, e o namorado dela, então… de qualquer maneira, fiquem atentos porque são vocês que fazem os ídolos do Brasil com essa força que a internet tem. Depois não reclamem se os representantes do Brasil forem mulheres tolerando violência e homens enaltecidos sendo agressores e criminosos”.

Por fim, ela relembrou que, meses após a agredir, ele ganhou “A Fazenda”:

“Daí a fazer virar ídolo? Com a força que tem o Big Brother e a Rede Globo no Brasil que vai fazer com que este criminoso se torne uma pessoa querida, vencedora e vitoriosa? Porque foi o que aconteceu quando ele participou do reality que ele ganhou. Tinha seis meses que ele tinha me batido, e o Brasil foi lá votar para ele ganhar. Pode ser que ele vire um gatinho brasileiro como muitos aí… lamento por vocês que fazem, conscientemente ou não, esses bostas pessoas queridas”.

 

 

Fonte: O Fuxico

Foto: Divulgação