TCE


Petista está confirmado em BH em agenda oficial na próxima semana, mas roteiro deve ser ampliado para outras cidades estratégicas, como Juiz de Fora

 

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva retorna pela primeira vez a Minas Gerais desde sua vitória eleitoral em 2022. A viagem será nesta quarta-feira. A presença do chefe do Executivo em Belo Horizonte está confirmada na agenda oficial do Palácio do Planalto. É possível que esse roteiro seja ampliado e inclua outras cidades estratégicas eleitoralmente.

Desde o fim do ano passado, o presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), quando perguntado sobre a previsão de uma visita de Lula a seu estado, responde sempre que o presidente está ansioso para ir ao Vale do Jequtinhonha, região das mais vulneráveis do estado. Não parece que esse será o destino do presidente, que pode ir a Juiz de Fora e Contagem, prefeituras administradas pelas petistas Margarida Salomão e Marília Campos, respectivamente.

Até o momento, não está confirmada a presença de Pacheco na comitiva, já que quarta-feira é dia de sessão no Congresso. Difícil, contudo, que o senador não esteja presente no estado, dado a sua proximidade com Lula desde meados do ano passado. Pacheco é apontado como possível nome do presidente para concorrer ao governo de Minas em 2026. O PT não tem nome forte para concorrer à sucessão de Romeu Zema, do Novo, que já foi reeleito.

Lula e Pacheco se reúnem com frequência desde o fim de 2023, quando o senador assumiu o papel de interlocutor da crise financeira do estado com a União.

Investimento

Pré-candidato a prefeito de Belo Horizonte, o deputado federal Rogério Correia, do PT, citou nas suas redes a presença de Lula na cidade. O parlamentar informou que Lula irá anunciar investimentos no estado e também repasses para obras de infraestrutura e programas sociais. No estado, Lula deve anunciar ainda recursos para duplicação de trechos da BR-381, conhecida como “rodovia da morte” pelo número acima da média de óbitos derivados de acidentes na estrada.

A agenda não foi detalhada pelo governo, mas na sua comitiva deverão estar ministros e parlamentares do estado.

“Terceiro turno”

O presidente já anunciou que irá privilegiar viagens internas neste seu segundo ano de mandato e pretende anunciar obras, um cronograma que irá intensificar com a proximidade das eleições. Lula está tratando a disputa eleitoral de outubro como um “terceiro turno” contra Jair Bolsonaro, que não pensa diferente.

Ao contrário de anos anteriores, Lula entende que o PT não precisa ter necessariamente candidatos próprio em todos grandes centros do país e que irá atuar a favor de nomes ligados à frente de partidos que o elegeu.

 

 

Fonte: Correio Braziliense

Foto: Ed Alves