Após uma longa espera de 11 anos, Rayssa Portugal Leite, 46, consegue imaginar um futuro melhor para seus filhos, especialmente para Jonathan, 13 anos, autista, a partir da mudança para o residencial Cidadão Manauara 2, etapa B, no Santa Etelvina, zona Norte. O programa habitacional da Prefeitura de Manaus integra o programa federal “Casa Verde e Amarela”, do Ministério do Desenvolvimento Regional.

Dona de casa em tempo integral, Rayssa deixou uma residência em área de risco na Cidade de Deus, onde morava de favor, para seu apartamento próprio, com os dois filhos, o outro com 10 anos.

 

A descoberta de que o filho Jonathan tinha o Transtorno do Espectro Autista (TEA) ocorreu quando o jovem tinha 5 anos de idade. Com o sonho da casa própria realizado, ela espera o dia em que o filho possa voltar a estudar, tendo um mediador. Ele ainda não lê e nem escreve e não conseguiu mais acompanhar as aulas da sexta série.

 

 

“Sempre tive esperança, mesmo depois de tanto tempo. É uma felicidade difícil de descrever poder dizer que hoje moro no que é meu. Estamos em processo de adaptação, mas as crianças brincam, se divertem aqui”, conta Rayssa, lembrando do local de onde saiu, uma casa com rachaduras em sua estrutura, que corria o risco de desabamento.

 

Força-tarefa

 

Ana Maria, Maria Martins Lima e Marcos Rodrigo são outros novos moradores do residencial que tem, além do sonho realizado, mais algo em comum: receberam o apoio da Prefeitura de Manaus para realizarem suas mudanças, com caminhões cedidos pelas secretarias municipais de Infraestrutura (Seminf) e de Limpeza Urbana (Semulsp).

 

Para Maria Martins, foi uma bênção o auxílio da prefeitura para que pudesse se mudar e deixar distante as dificuldades de quem vive de aluguel. No caso dela, foram 15 anos.

 

“Somos só alegria por morar no conjunto e tiramos mais um peso das despesas, com a mudança feita. Que Deus abençoe o prefeito e o coração solidário que tem”, disse Marcos Rodrigo.

 

Até a tarde desta sexta-feira, 27/8, 135 novos moradores da etapa B concluíram suas mudanças para o novo lar, sendo que 62 receberam apoio da força-tarefa montada para suporte com o transporte, conforme diretriz do prefeito David Almeida.

 

 

As mudanças dos novos mutuários, que vão pagar o apartamento em financiamento com a Caixa Econômica Federal em 10 anos, começaram no último domingo, 22. Em razão das medidas de distanciamento por causa da pandemia da Covid-19, os beneficiários foram divididos em grupos, dentro do cronograma inicial, que ocorreu entre os dias 22 e 25, tendo prazo de até 30 dias para realizar suas mudanças.

 

Para as famílias que não têm condições de arcar com os custos de transporte de um frete, a Prefeitura montou uma força-tarefa colocando à disposição caminhões para realizar o serviço.

 

Programa

 

O prefeito David Almeida já lançou o programa “Casa para Todos”, cuja meta é a construção de mais de 5 mil unidades habitacionais de interesse social em diversos bairros da capital. “Nós temos essa entrega de 500 casas e a perspectiva é de fazer 5 mil habitações na cidade de Manaus, em parceria com o governo federal”, comenta Almeida.

 

 

O objetivo do programa é a construção de novos conjuntos habitacionais, além da oferta de lotes pequenos e urbanizados. Conforme o prefeito, o projeto prevê a criação de um Núcleo de Apoio Técnico à Moradia, que será responsável por orientar o cadastramento das famílias nos programas habitacionais.

 

Residencial

 

Cada torre do residencial Cidadão Manauara 2 tem cinco andares, sistemas de gás encanado e de água, além de instalações hidrossanitárias.

 

Os apartamentos são adaptados, atendendo à Norma Brasileira (NBR) nº 9.500, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que trata da acessibilidade a edificações, mobiliários, espaços e equipamentos urbanos para PcDs, inclusive nas áreas comuns.

 

Os futuros moradores serão isentos de Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), como medida da gestão David Almeida, por lei municipal.