A Polícia Civil do Rio de Janeiro investiga um caso de agressão a uma empregada doméstica cometida pelo patrão, um major da Polícia Militar (PM). O caso aconteceu no Recreio dos Bandeirantes e foi flagrado por uma câmera de segurança.

A vítima disse que foi agredida por chegar atrasada no trabalho. Nas imagens exibidas nesta segunda-feira (25) pelo RJ1, da TV Globo, Patrícia Peixoto aparece entrando no elevador do prédio na companhia do major Bruno Chagas, visivelmente irritado e com o dedo em riste a poucos centímetros do rosto da mulher.

O policial mantém o dedo apontado para o rosto de Patrícia enquanto eles discutem e depois a encurrala no canto do elevador. Quando ela tenta afastar o major, é agredida no rosto e reage.

“Desde o início, quando entramos no elevador, ele já estava me agredindo com palavras, me chamando de vários tipos de nome. (…) Ele também falou que eu podia dar parte dele, que não ia dar nada pra ele, porque ele é major da PM”, afirmou Patrícia ao RJ1.

Medidas protetivas

O advogado de defesa de Patrícia entrou com pedido de medidas protetivas na 42ª DP, no Recreio dos Bandeirantes, nesta segunda-feira (25).

“Deixei minha filha que eu tenho, de 1 ano, com pneumonia em casa. Tinha sido uma noite horrível. E deixei ela em casa pra ir trabalhar e levar um tapa no rosto de uma pessoa”, desabafou Patrícia.

Em nota, a Polícia Militar informou que a Corregedoria da corporação já está com as imagens que mostram a agressão e que abriu uma investigação sobre o caso. A Polícia Civil informou que está investigando a agressão.

Com informações do Diário do Nordeste