foto: Lucas Silva/Secom

Enquanto várias cidades enfrentam dificuldades para imunizar a população contra o novo coronavírus, Manaus vem avançando, com 55,1% da população vacinada com a primeira dose e 22,01% com a primeira e segunda doses. Os números são resultado de planejamento diário e ações de conscientização junto à população. Nesta terça-feira (29/06), a cidade começa a vacinar cidadãos a partir dos 28 anos.

“Temos doses suficientes para avançar e é isso que estamos fazendo. A pressa em vacinar não é só minha, é da sociedade. A vacina no braço é a garantia de mais segurança e proteção contra a Covid-19. Por isso, peço às pessoas dessa faixa etária ou mais, que ainda não se vacinaram, que se dirijam aos nossos postos. Nossas equipes estão organizadas e prontas para atender”, afirmou o prefeito de Manaus, David Almeida.

“Nossa vacinação avança e estamos fazendo todos os esforços com a maestria da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) para que a cidade não enfrente uma terceira onda”, enfatizou.

Um dos resultados da atuação da prefeitura no combate ao vírus é que Manaus passou três dias do mês de junho sem registrar mortes pela doença. De todos os sepultamentos registrados nos dias 13, 22 e 24 de junho, nos cemitérios públicos e privados da cidade, não houve registros de morte por Covid-19.

Em uma das estratégias utilizadas pela prefeitura para conter o avanço do vírus na capital, a Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa) organizou, em parceria com o Governo do Amazonas, um mutirão de vacinação nos dias 12 e 13 de junho, que resultou na imunização de 142 mil pessoas. No dia 19 de junho, data em que a cidade atingiu a meta de 1 milhão de doses aplicadas – entre primeira e segunda doses – foram vacinadas mais de 42 mil pessoas em nove horas de ação.

Os resultados que vêm sendo alcançados são fruto do planejamento constante da equipe municipal. Um trabalho que inclui a disponibilização das doses em pontos estratégicos para atendimento do público em sistema drive thru e ponto fixo para pedestre.

Também fazem parte das estratégias, a divulgação diária da população a ser vacinada, a busca ativa de pessoas que ainda não compareceram para tomar a segunda dose e a organização e publicação no site da Semsa das listas oficiais de espera para sobras de vacina, priorizando os grupos ou faixas etárias subsequentes.

De forma a melhor acolher a população nos pontos, os servidores envolvidos no processo de imunização também têm passado por capacitação, para manter a qualidade do trabalho de registro e a humanização no atendimento.

Tecnologia como estratégia

Desde o início da vacinação em Manaus, no mês de janeiro, a prefeitura tem se utilizado de recursos tecnológicos para ampliar e aperfeiçoar o processo de imunização na cidade. Dentre as estratégias, está o Imuniza Manaus (https://imuniza.manaus.am.gov.br), plataforma para cadastramento da população a ser vacinada. O recurso foi inicialmente disponibilizado para ajudar na operacionalização da vacina para idosos, mas com o sucesso, foi ampliado para os demais públicos.

Já o Vacinômetro, no https://vacinometro.manaus.am.gov.br, é a estratégia encontrada pela prefeitura para que toda a sociedade acompanhe os dados de vacinação, com números diários, grupos e faixas de idade contemplados, entre outros dados.

Com a intensificação da campanha de vacinação, a Prefeitura de Manaus criou ainda uma ferramenta para orientar o público apto a receber a vacina e evitar aglomerações. O serviço orienta o usuário via Internet sobre a situação das filas de espera nos postos de vacinação. O “Filômetro”, como vem sendo chamado, mostra ao usuário a situação, em tempo real, da procura por vacina em cada posto, permitindo que a pessoa opte pelo local de menor movimento.

“Vendo a necessidade de transferir as pessoas de um posto para outro, para equilibrar a demanda, tivemos a ideia de elaborar essa ferramenta de controle”, conta William Terra, assessor técnico da Semsa e idealizador do projeto.

Para utilizar o serviço, é só acessar o link https://www.bit.ly/filometrovacina, consultar o posto ao qual pretende ir e verificar a situação da fila, cuja classificação é por cores e indicativo de tamanho, e, caso haja fila grande, escolher outro local para ser vacinado.

Outro recurso foi o Sistema Municipal de Imunização/Covid (SMV/Covid) para o registro e acompanhamento das vacinas aplicadas na capital amazonense. O sistema foi criado para suprir a necessidade de um banco de dados sobre a vacinação contra a Covid-19 em Manaus.

A ferramenta já existia e era utilizada em campanhas tradicionais, com base em metodologia antiga, que fazia a contagem por grupos vacinados. Para atender à campanha da Covid-19, foram feitas adaptações para permitir a leitura “personalizada”, ou seja, pelo CPF de cada cidadão vacinado.
Com informações da assessoria