Manaus – Morreu neste sábado (9) aos 65 anos, o cantor e compositor Sidney Rezende, em consequência de uma parada cardíaca. Sidney Rezende era referência na composição de toadas que marcaram o Festival Folclórico de Parintins.

O artista era natural de Minas Gerais, porém viveu mais de 30 anos em Parintins e foi um dos primeiros a gravar “O Amor está no ar”, de Chico da Silva.

Sidney faleceu no Hospital Pronto-Socorro 28 de Agosto onde estava internado desde o dia 1º de abril.

Por meio das redes sociais, o Garantindo emitiu uma nota em homenagem a Sidney:

“É com enorme tristeza que a Associação Folclórica Boi-Bumbá Garantido (AFBBG), se despede do artista, cantor, compositor, músico, produtor, sócio e torcedor do Boi Garantido, Sidney Rezende.

Gigante no talento e único em sua história, Sidney transformou a musicalidade das toadas do boi-bumbá de Parintins. Seu estilo refinado e apuro técnico impactaram a tal ponto, que sua contribuição é unanimidade na acirrada rivalidade entre o Garantido e o contrário.

Sidney hoje é pranteado dos dois lados da festa. Sua chegada, há mais de três décadas, à Parintins resultou na mudança estrutural sonora de execução do ritmo parintinense.

De origem altamente percussiva, com Sidney Rezende a toada ganhou refinamento das cordas e a alegria dos ataques de metais. Sidão potencializou comercialmente nossa música.

Por tudo isso, sua partida é ‘uma nota triste em meio a enorme partitura de sua existência’. Obrigado Sidney Rezende. Muito obrigado! Aplausos ao maestro! ‘Alguns cantarão daqui, outros do eternidade…’”.