Diretoria acerta reunião com membros das organizadas. A vitória na estreia da Libertadores, contra o Sporting Cristal, não amenizou o clima ruim. A derrota na final do Carioca para o Fluminense ainda pesa

Mal desembarcaram hoje, no aeroporto do Galeão, e os jogadores do Flamengo tiveram a confirmação.

Amanhã, a programação está confirmada.

Haverá uma reunião entre os jogadores, comissão técnica, diretoria. Com os chefes das principais torcidas organizadas do clube. A presença é obrigatória.

O time já está abatido e com problemas de relacionamento entre o treinador Paulo Sousa e o time. Não há união por falta de entendimento do método do português, pelas cobranças fortes, beirando o desrespeito. E pela alternância frenética na escalação do time. Não há frequência.

Mesmo na vitória de ontem, na estreia da Libertadores, por 2 a 0, diante do Sporting Cristal, em Lima, no Peru, nada de euforia. O clima, muito ruim pela perda do Carioca, diante do Fluminense, e a chance de conseguir o inédito título de tetracampeão estadual, segue imperando.

A reunião com os torcedores é tudo o que os atletas não queriam.

“Natural não é, mas a gente sabe como é o futebol brasileiro”, resumiu Everton Ribeiro, evitando entrar em confronto com os dirigentes e ficar marcado pelos torcedores.

O encontro foi amarrado pelo vice de futebol, Marcos Braz. Ele tem excelente relacionamento com os chefes das organizadas. E está sendo muito pressionado desde o início do ano para que esse encontro, de forma oficial, aconteça.

 

Braz está estudando a possibilidade de se lançar candidato a deputado federal. Ele se elegeu vereador pelo Rio de Janeiro, com 40.938 votos, pelo Partido Liberal, em 2020.

Não há a menor dúvida que a popularidade que conseguiu como dirigente do Flamengo o levou à eleição. Sua relação com as organizadas também traz indiscutível ganho político no clube.

David Luiz, um dos líderes do elenco, jogador vivido, tratou de amenizar o clima de cobrança que virá por parte dos torcedores.

“Tudo e todas as pessoas que amam o Flamengo têm que estar no mesmo intuito, no mesmo entrosamento e são sempre bem-vindas todas as conversas em prol do Flamengo. O Flamengo é maior do que todo mundo, nós estamos dispostos a ter as conversas, encontros, porque quem é maior que todos é o Flamengo.”

Paulo Sousa não foi consultado se ele permitiria ou não o encontro.

A decisão veio da diretoria e ele teve de acatar como funcionário do clube.

É uma situação surreal, que a diretoria do Flamengo tenta tornar natural.

 

Fazer seus jogadores explicarem a membros de organizadas o porquê de o milionário elenco ter perdido o título carioca para o limitado Fluminense.

E muito mais: qual a razão que impede que o time volte a “jogar bem”.

Há um indiscutível saudosismo dos tempos de Jorge Jesus.

A cobrança é para que o time atue como em 2019.

Mesmo com os jogadores que ficaram estando três anos mais velhos.

Atletas fundamentais, que estavam em excelente fase, como Rafinha, Gerson e Pablo Marí, deixaram o clube.

Nas redes sociais há até uma suposta lista de reivindicações dos torcedores.

A dispensa de cinco atletas.

Diego Ribas, Diego Alves, Renê, Éverton Ribeiro e Willian Arão.

Querem Pedro como titular.

Mais espaço para Thiago Maia e Lázaro.

E que Filipe Luís se torne reserva.

Após a perda da Libertadores, no ano passado, Andreas Pereira teve de dar satisfação aos membros das organizadas. Com o aval da direção do Flamengo.

Os jogadores estão avisados.

Amanhã é dia de dar satisfação.

Aos torcedores.

Inacreditável.

Pelo menos, na Gávea tudo será feito às claras.

Ao contrário de outros clubes, como o Corinthians e São Paulo, por exemplo.

Há pavor entre inúmeros dirigentes brasileiros que tentam enfrentar as torcidas.

E acabam tendo seus centros de treinamento invadidos.

Jogadores e dirigentes perseguidos.

Para o Flamengo é melhor marcar reunião de forma oficial.

As organizadas nunca tiveram tanto espaço no futebol brasileiro…

 

 

Fonte: R7

Foto: Divulgação