TCE


Amazonas – O cenário da comunicação amazonense ganha um novo fôlego com a mais recente inovação do “No Amazonas é Assim“, um portal que há tempos conquistou seu espaço ao trazer notícias e entretenimento diretamente da rica e diversificada Amazônia. Agora, em um passo ousado para o futuro, o portal apresenta uma série de Lendas Amazônicas totalmente concebidas por Inteligência Artificial (IA).

A Inteligência Artificial, presente hoje em dia em diversas formas no nosso cotidiano, é a ferramenta principal por trás dessa novidade. É importante informar que hoje a IA permeia várias esferas que vão desde assistentes virtuais em smartphones e periféricos, até algoritmos complexos que impulsionam carros autônomos. Nesse contexto, ela se tornou uma aliada valiosa na sociedade e portanto, está cada vez mais evoluindo e abrindo portas para o futuro digital.

O comando criativo dessa empreitada fica por conta do designer digital amazonense Marcus Pessoa e da estudante de jornalismo Jussara Melo, ambos diretores do “No Amazonas é Assim”. A curadoria das informações, roteirização, criação das imagens digitais, edição e sonorização são executadas com maestria por essa dupla visionária.

“A fusão de lendas amazônicas e inteligência artificial, não só preserva, mas revitaliza o nosso patrimônio cultural. A gente enxerga como uma forma de enriquecer a conexão entre passado e futuro. O resultado está incrível. Cada elemento, cada história, cada imagem que é gerada e animada nos enche de alegria em ver como as ferramentas tecnológicas, se usadas da maneira correta, podem aumentar exponencialmente a qualidade dos nossos trabalhos, destacou Marcus Pessoa, o designer responsável pelo projeto.

A série de Lendas Amazônicas do No Amazonas é Assim inicia sua jornada com a Lenda da Rasga Mortalha, um mito regional envolvente e misterioso e que desperta até hoje sentimentos de aflição nos amazônidas. O diferencial aqui é que toda a concepção do vídeo foi realizada por meio de inteligência artificial, mostrando a força da ferramenta em suas várias camadas.

A gente envolveu a Inteligência Artificial desde a simplificação do roteiro, passando por geração e animação das imagens, até a concepção da narração da lenda. Todas essasetapas têm o uso de ferramentas de IA. É um processo de tentativa e erro com os diversos prompts, até que consigamos passar para a IA o que exatamente queremos. Todas as etapas a gente refina até fazer os nossos olhos brilharem. Estamos produzindo algo único e visualmente incrível! contou Jussara Melo.

É evidente que o “No Amazonas é Assim” está pavimentando um novo caminho na produção de conteúdo audiovisual ao incorporar a IA em todas as fases da criação. Essa abordagem não apenas agiliza o processo, mas também permite uma nova perspectiva sobre lendas tradicionais, trazendo-as para o século XXI com uma roupagem tecnológica.

As lendas, já animadas até o momento são : “A Lenda da Rasga Mortalha”, “A Lenda do Peixe Boi”, “A Lenda do Mapinguari”, “A Lenda do Boto Cor de Rosa”, “A Lenda da Caipora” e “A Lenda da Vitória Régia”. Para acompanhar em primeira mão, é importante entrar no novo canal do No Amazonas é Assim no Youtube https://youtube.com/@noamazonaseassim ou segui-los nas várias redes sociais onde o portal mantém presença ativa.

Para dar um gostinho do que está por vir, o episódio 1, dedicado à Lenda da Rasga Mortalha, foi disponibilizado. Uma oportunidade única para vivenciar essas narrativas ancestrais como nunca antes, imersas na magia da inteligência artificial. Embarque nessa jornada tecnológica e redescubra o encanto das lendas amazônicas no século da inovação.

https://youtu.be/Mpmnu0LD86A