Além na melhoria da infraestrutura das unidades de ensino, aquisição de equipamentos e distribuição de material didático, toda mão de obra empregada nas obras foi de moradores da cidade

Ainda durante a pandemia da covid-19, quando a maioria dos alunos estava no sistema de ensino remoto, a prefeita de Presidente Figueiredo, Patrícia Lopes (União Brasil), iniciou a execução do maior pacote de obras da rede municipal de ensino. Das 25 escolas, 19 escolas foram reformadas, revitalizadas e ampliadas, melhorando a qualidade de ensino e aprendizado criando cerca 1 mil novas vagas nas escolas, da sede e comunidades rurais do município.

Até esta quarta-feira (25/05), já foram reinauguradas oito escolas, cinco na sede, e três na zona rural e as demais já estão com as obras concluídas, prontas para serem entregues à comunidade estudantil. O pacote de obras da educação, contempla a reforma, ampliação e revitalização de 19 escolas, aquisição de equipamentos como freezer, bebedouros, aparelhos de ar condicionado, material esportivo e distribuição de kits escolares e pedagógicos, para todos os alunos e professores da rede municipal.

Além dos benefícios diretos aos mais de 8 mil alunos, professores e funcionários da rede municipal de ensino, o pacote de obras da educação colocado em pratica pela prefeitura de Presidente Figueiredo, está gerando centenas de empregos diretos e indiretos, já que, em todas as obras realizadas, os trabalhadores são contratados na própria comunidade ou, em outras vizinhas as áreas onde os serviços estão sendo executados.

Ao fazer uma avaliação desta primeira etapa de reinauguração de escolas, a prefeita Patrícia Lopes, falou das escolhas que um gestor precisa fazer quando precisa administrar prioridades, situação que ela e o vice-prefeito Anderson encontraram pela frente ao assumir o comando da prefeitura, cerca de um ano e meio atrás, em plena segunda onda da pandemia da covid-19.

“O município tem muitos problemas e, não haverá momento algum na história que não existam problemas a serem resolvidos. Agora, existem problemas que eles gritam pela urgência que têm de serem resolvidos. Naquele momento crítico da pandemia, em que assumimos a gestão, nossa escolha foi concentrar esforços para atender a população no nosso hospital, nas unidades básicas de saúde e, essas escolhas, fizeram toda a diferença, porque ninguém perdeu a vida, por falta de assistência”, afirmou. Direcionamos os nossos investimentos para salvar vidas”.

Passado o período mais difícil da crise de saúde pública, quando os investimentos do município foram direcionados para salvar vidas, Patrícia Lopes disse que, a sua escolha como gestora foi recuperar as escolas da rede municipal de ensino, que se encontravam em situação impróprias para receber os alunos que retornariam ao ensino presencial.

“Tínhamos em mãos um levantamento feito pelas secretarias municipais de Infraestrutura e Serviços Públicos e da Educação, sobre a realidade de cada uma das 25 escolas do município, que não deixava dúvida sobre a urgência da realização de reformas e revitalização dessas unidades para receber alunos, professores e funcionários, no retorno às salas de aula. Fizemos um processo licitatório, onde foram contempladas e já estamos inaugurando 19 escolas e, eu tenho certeza, que esse é um marco importante hoje para a educação de nosso município”, destacou Patrícia Lopes.
A prefeita cita o caso da escola municipal Ministro Marcos Freire, localizada no Km 13 da AM 240 (Estrada de Balbina) que as paredes vieram a baixo, quando foram iniciadas as obras de reforma do telhado e o prédio teve que ser reconstruído. E ainda da escola municipal Carla Jeanne de Souza Oliveira, localizada no ramal da Micade, no Km 134 da rodovia federal 174, que, por diversas vezes os funcionários de serviços gerais e da cozinha precisavam ir até o igarapé para lavar as louças da merenda e também recolher agua da chuva para limpar o único banheiro existente para atender aos alunos da educação infantil e ensino fundamental, sem contar que nos dias mais quentes, alguns professores ministravam suas aulas, embaixo das arvores.
Após a reforma e ampliação, a escola ganhou duas novas salas de aula – abrindo 130 novas vagas – refeitório, cozinha, secretaria, diretoria, sala de informática, banheiros exclusivos para os alunos do maternal e para aqueles com deficiência, que agora contam também rampa de acessibilidade, além de um poço artesiano, com caixa d’ água de 5 mil litros, que será compartilhado com a comunidade.
“Nós não fizemos apenas pintura, pequenos reparos. Em todas as escolas foram recuperados sistemas elétricos e hidráulicos, feitas adequações para acessibilidade de todos, todas as salas de aula e setores administrativos estão climatizadas, foram instalados novos bebedouros, as cozinhas ganharam novos freezeres para armazenar corretamente a merenda escolar, em muitas unidades, onde a área física permitiu, criamos espaços para lazer e pratica de atividade física. Estamos entregando unidades com mais conforto e segurança para tenhamos qualidade de ensino”, afirma Patrícia.

Além das obras físicas, cada escola reinaugurada recebeu equipamentos para pratica esportiva, com bolas e redes para voleibol, futsal, handebol e basquete, raquetes, cones, coletes e apitos. Alunos e professores receberam kits com material didático e pedagógico.
Educação tratada como prioridade
“Com o objetivo de reconstruir a educação, prefeita Patrícia Lopes realizou o maior pacote de obras na área, o maior e mais abrangente já colocado em pratica na história da Terra das Cachoeiras, afirma o secretário municipal de Educação, Rodolfo Moraes, lembrando que há quase uma década as escolas do município precisavam de manutenção, reformas e, em algumas comunidades, ampliação, para atender a demanda por vagas.

Com a experiência de quem já comandou a mesma pasta, o vereador Marcos Nascimento (PSB), presidente da Câmara Municipal de Presidente Figueiredo, garante que, “pela primeira vez na história, as instituições de ensino municipais passam por uma verdadeira reconstrução, proporcionando ambientes mais propícios ao aprendizado, salas climatizadas, novas mobílias e ferramentas para tornar educação figueiredense uma referência em qualidade de ensino”.

Além da revitalização e ampliação das escolas, a prefeitura de Presidente Figueiredo oferece transporte escolar aos 8.386 alunos regularmente matriculados nas 27 unidades escolares da rede municipal de ensino.

A estrutura de logística implantada pela prefeitura inclui transporte terrestre e fluvial. Alunos da sede e das mais de 60 comunidades rurais do município, são transportados por uma frota de veículos – ônibus, vans, micro-ônibus e kombis – e mais 78 barqueiros.
“O meu filho é uma criança especial e quase não acreditei quando recebi a ligação da secretaria de Educação dizendo que teria transporte de graça para ele frequentar a escola. Fiquei muito emocionada e muito feliz, porque antes da prefeita Patrícia Lopes, era uma dificuldade para levar as crianças para escola, debaixo de sol e chuva. Nessa gestão nós estamos vivenciando uma nova fase, uma nova história, um novo tempo para a educação em nosso município”, destaca Angelina Santos, mãe de aluno da escola Roxana Pereira Bonessi.

Felicidade e sentimentos de gratidão

A cada evento de reinauguração, a expressão de felicidade e a animação no rosto dos alunos, profissionais da educação e dos pais presentes, chamam tanto a atenção quanto as melhorias na infraestrutura e novos equipamentos de cada unidade educacional. Além da manifestação do sentimento de gratidão, presente nos abraços e aperto de mão, que a prefeita Patrícia Lopes recebe.
“Quero agradecer a nossa prefeita Patrícia Lopes, a toda a sua equipe de secretariado por esse dia marcante, para os alunos, pais e profissionais de educação, pois estamos recebendo uma escola totalmente reestruturada, proporciona qualidade, segurança e conforto para as crianças atendidas pela rede municipal de ensino. Fica aqui o meu agradecimento em nome de todas as mães dos alunos da Creche do Galo da Serra”, disse Flávia Fernandes, mãe de uma aluna da Creche Antônio José Vieira, inaugurada no dia 10 de maio, quando teve início a maratona de reinaugurações de escolas em Presidente Figueiredo.

Na mesma data, foram entregues as escolas municipais Engenheiro Nelson Dorneles, Roxana Pereira Bonessi, Manoel Raimundo de Andrade e Mário Jorge Gomes da Costa, todas localizadas na sede de Presidente Figueiredo.

Segundo Angelina Santos, mãe de aluno e também de um ex-aluno e que hoje é inspetora na Escola Roxana Bonessi, fez questão de lembrar das condições da escola e das dificuldades que enfrentavam, os filhos para estudar e ela para trabalhar, e do quanto a “a dedicação e o empenho dessa gestão, vem fazendo a diferença na educação figueiredense, pois valoriza e dar dignidade aos alunos, professores e demais profissionais da área”.

“Pela primeira vez na história, as instituições de ensino municipais passaram por uma verdadeira reconstrução, proporcionando ambientes mais propícios ao aprendizado, salas climatizadas, novas mobílias e ferramentas para tornar educação figueiredense uma referência em qualidade de ensino”, afirmou.

Jucilene Aparecida Reis Rocha, agricultora, mãe das pequenas Agatha Geovana, de seis anos, e Emily Beatriz, de dois anos, novas alunas da escola municipal Carla Jeanny de Souza Oliveira, no Ramal Micade, não lembra as dificuldades que professores, alunos e funcionários enfrentavam antes da unidade ser reformada e ampliada, mas se disse muito feliz em saber que as filhas vão poder estudar “num lugar tão bonito, tão aconchegante”.

Se diz feliz, também, porque agora vai poder ajudar mais o marido na plantação de pimentão, principal fonte de renda da família.