Cerimônia foi marcada por tapa de Will Smith em apresentador

No Ritmo do Coração, filme comovente sobre uma família surda com uma filha ouvinte, ganhou o prêmio de melhor filme no Oscar, na noite desse domingo (27), em cerimônia ofuscada pelo tapa que o vencedor do prêmio de melhor ator, Will Smith, acertou no apresentador Chris Rock. O filme se tornou o primeiro de um serviço de streaming, a Apple TV+, a ganhar o maior prêmio da indústria cinematográfica.

Em um momento que inicialmente parecia uma das piadas que animam a transmissão do Oscar, Smith subiu ao palco e deu um tapa em Rock, depois que o apresentador fez uma piada sobre a esposa do ator, Jada Pinkett Smith.

Minutos depois, Smith soube que havia conquistado o prêmio de melhor ator. Em seu discurso, ele começou a chorar e pediu desculpas aos colegas indicados e à Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, mas não a Rock.

A briga contrastou com os momentos alegres associados a No Ritmo do Coração. Quando o filme ganhou os prêmios de melhor filme, melhor ator coadjuvante e melhor roteiro adaptado, quase todos na plateia se levantaram e aplaudiram em linguagem de sinais.

No Ritmo do Coração derrotou o concorrente Ataque dos Cães, da Netflix, e obras de estúdios tradicionais de Hollywood.

“Eu realmente quero agradecer à Academia por reconhecer um filme de amor e família neste momento difícil que precisamos hoje”, disse o produtor Patrick Wachsberger na frente do elenco.

Volta do glamour

A cerimônia de premiação mais prestigiada de Hollywood voltou ao brilho total depois que as restrições da pandemia limitaram o evento do ano passado.

Mas o clima ficou sombrio depois do episódio envolvendo Smith, que ganhou o prêmio de melhor ator por interpretar o pai determinado das lendas do tênis Venus e Serena Williams em King Richard: Criando Campeãs.

Em seu pedido de desculpas ao receber o prêmio, ele disse: “Richard Williams era um defensor feroz de sua família. A arte imita a vida. Eu pareço o pai louco, assim como eles disseram sobre Richard Williams. Mas o amor fará você fazer coisas loucas.”

A Academia de cinema afirmou no Twitter que “não tolera violência de nenhuma forma”.

Em outras premiações, Jane Campion se tornou apenas a terceira mulher, nos 94 anos de história do Oscar, a ganhar o prêmio de melhor diretora, por Ataque dos Cães.

Jessica Chastain ganhou o prêmio de melhor atriz por interpretar a televangelista Tammy Faye Bakker em Os Olhos de Tammy Faye.

Troy Kotsur fez história como o primeiro surdo a levar um Oscar, ganhando o prêmio de melhor ator coadjuvante por No Ritmo do Coração. Kotsur interpretou Frank Rossi, o pai de uma adolescente que luta para ajudar o negócio de pesca de sua família enquanto busca suas próprias aspirações na música.

“Isso é dedicado à comunidade surda, à comunidade “Coda” (nome do filme em inglês, um acrônimo para filhos de pais surdos) e à comunidade com deficiência. Esse é o nosso momento”, disse Kotsur em discurso feito em linguagem de sinais.

O prêmio de atriz coadjuvante foi para Ariana DeBose por interpretar a espirituosa Anita, que canta America ​​no remake de Steven Spielberg de Amor, Sublime Amor.

A atriz afrolatina pediu ao público que a imaginasse jovem “no banco de trás de um Ford Focus branco”.

“Você vê uma latina queer, abertamente queer, que encontrou sua força na vida por meio da arte”, disse ela.

O épico de ficção científica Duna conquistou o maior número de prêmios da noite, ganhando seis prêmios em categorias como fotografia e edição

 

 

Fonte: Agencia Brasil

Foto: Brian Snyder