InícioSAÚDENobel de Química: cientistas são premiados por desenvolver pontos quânticos

Nobel de Química: cientistas são premiados por desenvolver pontos quânticos

O Nobel de Química de 2023 foi concedido a três cientistas: os químicos norte-americanos Moungi Bawendi e Louis Brus e o físico russo Alexei Ekimov

Três cientistas levaram o Prêmio Nobel de Química de 2023: os químicos norte-americanos Moungi Bawendi e Louis Brus e o físico russo Alexei Ekimov foram laureados por terem desenvolvidos pesquisas sobre nanotecnologia e “pela descoberta e síntese de pontos quânticos”. Os nomes dos ganhadores veio a público antes mesmo do anúncio oficial, feito pela Real Academia Sueca de Ciências.

“O Nobel de Química 2023 premia a descoberta e o desenvolvimento de pontos quânticos, nanopartículas tão pequenas que o seu tamanho determina as suas propriedades. Esses menores componentes da nanotecnologia agora espalham sua luz a partir de televisores e lâmpadas LED, e também podem orientar os cirurgiões na remoção de tecido tumoral, entre muitas outras coisas”, afirma o comunicado.

As descobertas sobre nanopartículas começaram no início da década de 1980, quando Alexei Ekimov conseguiu criar efeitos quânticos dependentes do tamanho em vidro colorido. O físico demonstrou que o tamanho das partículas afetava a cor do vidro por meio de efeitos quânticos. Alguns anos depois, Louis Brus foi o primeiro cientista do mundo a provar efeitos quânticos em partículas flutuando livremente em um fluido. Já em 1993, Moungi Bawendi revolucionou a produção química de pontos quânticos, resultando em partículas quase perfeitas.

“Os pontos quânticos têm muitas propriedades fascinantes e incomuns. É importante ressaltar que eles têm cores diferentes dependendo do tamanho”, explica Johan Aqvist, presidente do Comitê do Nobel de Química. As pesquisas do trio de cientistas podem ter aplicações futuras inovadoras, como por exemplo em eletrônica flexível, sensores minúsculos, células solares mais finas e comunicação quântica encriptada.

No ano passado, o Nobel de Química foi para o dinamarquês Morten Meldal e aos americanos Barry Sharpless e Carolyn Bertozzi pelo “desenvolvimento da química ‘click’ e da química bio-ortogonal”. Eles estabeleceram as bases para uma forma mais funcional da disciplina científica.

 

Fonte: Correio Braziliense

Foto: Divulgação



Artigos Relacionados

LEIA MAIS